Chineses criam 'indústria' de atestados médicos para ver jogos da Copa

AFP Direito de imagem BBC World Service
Image caption Seleção chinesa não participou das duas últimas copas, mas país tem muitos torcedores

Trabalhadores da China estão criando uma "indústria" do atestado médico falso para poder faltar ao trabalho e acompanhar os jogos da Copa do Mundo, segundo a imprensa local.

O jornal controlado pelo Partido Comunista, Global Times, publicou uma manchete que afirmava: "Febre do futebol estimula atestados falsos".

O artigo do Global Times falou também sobre a diferença de 11 horas entre o horário do Brasil e o da China, o que significa que os jogos podem ser transmitidos para os chineses em horários que variam entre meia-noite e 6h da manhã.

O Global Times sugeriu que, devido a esta diferença de horários, está crescendo o comércio online de atestados falsos para que os torcedores faltem ao trabalho.

A China não tem muita tradição no futebol internacional, a seleção do país conseguiu se classificar apenas para a Copa de 2002, no entanto o país tem muitos torcedores.

A diferença de fuso horário entre China e o país anfitrião da Copa anterior, a África do Sul, não era muito menor. Mesmo assim, a China foi um dos países onde a audiência dos jogos de 2010 foi maior, com uma média de 17,5 milhões assistindo cada jogo ao vivo.

Falsificações

A habilidade da China para criar produtos falsificados é algo conhecido: bolsas e relógios falsos são vendidos no mundo todo e até carros são falsificados no país.

Relatos divulgados recentemente falam até da existência de uma força de paz da ONU falsa.

Então, não é surpreendente e, na verdade, é até fácil encontrar serviços na internet que oferecem atestados médicos falsos.

Em uma questão de minutos já nos perguntavam que tipo de doença preferíamos e de qual hospital preferíamos que o atestado viesse.

Cerca de uma hora depois, um atestado médico que parecia muito legítimo foi entregue por um homem que veio em um ciclomotor. E o preço foi de cerca de US$ 16 (pouco mais de R$ 35).

Ao questionarmos nosso entregador, perguntando se a Copa do Mundo realmente aumentou a demanda por atestados, como sugeriu o Global Times, ele negou.

Mas, encontramos outro fornecedor de atestados que sugeriu que o movimento no setor aumentou recentemente.

Há uma chance de que isto não tenha acontecido graças aos torcedores, mas devido a jornalistas tentando provar como é fácil conseguir um atestado médico falso.

Ao analisar a imprensa internacional, foi possível encontrar coisas como o correspondente do jornal britânico Telegraph em Xangai sofrendo de uma infecção no sistema respiratório, o repórter da Rádio Nacional Pública dos Estados Unidos com gastroenterite (começando neste domingo) e alguém da NBC News na China diagnosticado com apendicite.

Notícias relacionadas