A torcida brasileira está decepcionando na Copa?

Torcedores brasileiros no estádio Mané Garrincha / Crédito da foto: AFP Direito de imagem AFP
Image caption Campanhas na internet pedem novas canções para agitar mais a torcida brasileira nos estádios

Depois de uma espera de 64 anos, o Brasil voltou a jogar uma Copa do Mundo em casa e conta com o peso da torcida nos estádios para conquistar o tão sonhado hexacampeonato.

Mas apesar das arquibancadas estarem lotadas nos três jogos da seleção pela primeira fase, a ‘falta de empolgação’ dos torcedores chamou a atenção em algumas ocasiões.

A ‘febre’ do hino nacional cantado a capela durante a Copa das Confederações ‘pegou’ também entre as outras seleções sul-americanas durante o Mundial e já não é mais um espetáculo exclusivo da torcida brasileira. Para além do hino, os torcedores de Argentina, Chile, Colômbia e México estão deixando a disputa nas arquibancadas bem mais acirrada do que no ano passado.

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Na abertura, quando o Brasil venceu a Croácia por 3 a 1 na Arena Corinthians, em São Paulo, o público de 61.103 no estádio alternou os famosos cantos de "Eu sou brasileiro com muito orgulho, com muito amor" com alguns momentos de silêncio – além das vaias à presidente Dilma Rousseff, quando ela apareceu no telão comemorando o segundo gol de Neymar.

Novos cantos

Depois, no jogo contra o México em Fortaleza, na entrada do estádio, alguns torcedores já distribuíam panfletos na tentativa de emplacar novos cantos na arquibancada no ritmo de "Brasília Amarela" dos Mamonas Assassinas ou "Poeira", da Ivete Sangalo. Ainda assim, predominou o tradicional "Sou Brasileiro com muito orgulho com muito amor".

"Essa música dá sono. Quando começaram a cantar lá eu quase dormi, não dá. Tem que mudar", contou Marcos Steuer, que esteve no jogo contra os mexicanos.

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Chamou a atenção durante o jogo a maneira como os mexicanos, em minoria no Castelão, por vezes fizeram mais barulho do que a torcida do time da casa. "A galera na minha volta chegou a ensaiar uma vaia e, em geral, o México gritava muito mais", atestou Marcos.

E foi justamente após esta partida que algumas campanhas começaram na internet para incentivar os torcedores nos estádios a variarem o repertório. Foi criada até mesmo uma página no Facebook "Vamos Cantar Brasil" para incentivar os torcedores nos jogos.

O jogo contra Camarões, em Brasília, foi um pouco mais animado, sem a disputa entre torcidas – já que a do Brasil era quase que absoluta no Mané Garrincha.

A BBC Brasil saiu às ruas no Rio de Janeiro e em São Paulo para entender se há mesmo esse desânimo nas arquibancadas dos jogos da Copa e por que ele acontece.

Quem está de fora dos estádios acredita que o problema é que quem está dentro não sabe torcer, porque não está acostumado a ir a jogos de futebol frequentemente. Já quem esteve nas arquibancadas em jogos do Brasil durante essa Copa acredita que a empolgação viria se novos gritos fossem inventados, para sair da "mesmice" do "Sou brasileiro com muito orgulho, com muito amor".

Notícias relacionadas