Buenos Aires festeja chegada da Argentina à final

Comemoração dos torcedores argentinos em Buenos Aires (Reuters) Direito de imagem REUTERS
Image caption Comemoração pela vitória na semifinal promete ser a maior em décadas no país

Nem mesmo a baixa temperatura impediu uma multidão de acompanhar pelo telão na Praça San Martín, no centro de Buenos Aires, a partida da semifinal entre Argentina e Holanda.

O jogo só foi decidido nos pênaltis, mas a vitória foi imensamente comemorada. Os torcedores gritavam, choravam e erguiam a bandeira do país.

E a festa não se limitava à praça. A cidade toda estava em festa: das varandas dos apartamentos, às praças e ruas.

A celebração promete ser a maior em décadas no país, que chegou pela quinta vez à final e já venceu duas - em 1978, em casa, e em 1986, no México.

A festa é maior que a mais recente comemoração dos argentinos – o anúncio da eleição do Papa Francisco, no ano passado. E é mais barulhenta, devido aos fogos de artificio e à grande quantidade de pessoas nas ruas e praças.

No bairro boêmio de Palermo, em Buenos Aires, grupos de jovens amigos, agasalhados e vestindo a camiseta da seleção, cantavam sozinhos: "Vamos, vamos Argentina", uma das canções da torcida do país.

Direito de imagem REUTERS
Image caption Argentina busca o tricampeonato no domingo

A vitória parece ter causado surpresa entre torcedores e comentaristas, que no início da Copa não pareciam ter muita fé no time. Somente nos últimos dias alguns apartamentos da cidade passaram a exibir a bandeira do país, em sinal de apoio à seleção.

Rivalidade com Brasil

A vitória da Argentina sobre a Holanda ocorreu um dia depois da derrota de 7 a 1 do Brasil para a Alemanha - fato que gerou ironias entre os argentinos.

O popular apresentador do canal 13, Marcelo Tinelli, que assistiu aos jogos da seleção argentina no Brasil disse, na noite de terça-feira, que estava "feliz". "Foi um dos dias mais felizes da minha vida futebolística. Os irmãos brasileiros torceram para Bósnia, Irã e Nigéria. Pintaram até o rosto com as cores destes países. Por isso, estou feliz (com a derrota brasileira)", disse na abertura de seu programa. As três seleções jogaram com a Argentina na primeira fase do Mundial no Brasil.

Apesar de o público presente ao vivo no programa de Tinelli cantar o hino da Argentina nesta Copa - que diz "Maradona é melhor que Pelé"- , os argentinos demonstraram surpresa ao constatarem que brasileiros usavam camisetas das seleções adversárias da Argentina nos estádios.

Nas ruas de Buenos Aires, os torcedores também demonstraram o mesmo tom de surpresa com a torcida contra do Brasil. "Eu não sabia que os brasileiros nos viam como tão rivais, que podiam torcer contra a gente. Fiquei em dúvida se a rivalidade não vai além dos estádios. A nossa é do futebol, mas a dos brasileiros parece maior que isso", disse a comerciante Josefina Alvarez, de 42 anos.

Nas emissoras de rádio, como a Mitre, os locutores também cantaram o hino "Maradona é melhor que Pelé". E comemoraram a derrota brasileira. "Vamos rir porque eles já riram da gente", disseram.

Durante o dia, antes do jogo, os sites mostravam que as matérias mais lidas eram aquelas ligadas à derrota do Brasil, principalmente os memes – entre eles o que mostrava uma reprodução do Cristo Redentor a frase: "No soporto mas" (Não aguento mais, em tradução livre), fugindo em um foguete.

Notícias relacionadas