Em seca de títulos, gigantes Alemanha x Argentina decidem Copa no Maracanã

Bandeiras de Alemanha e Argentina, finalistas da Copa Direito de imagem AFP
Image caption Jogo no Maracanã irá encerrar a seca de títulos de uma das gigantes, Alemanha ou Argentina

O maior torneio de futebol do planeta chega à grande final de sua 20ª edição em partida marcada para um dos principais palcos do esporte no mundo, o Maracanã, entre duas das maiores camisas da história do jogo: Alemanha, três títulos Mundiais, e Argentina, dois, vão a campo às 16h deste domingo.

O confronto põe fim a um torneio de 64 jogos espalhados por 12 cidades que receberam mais de três milhões de torcedores em seus estádios.

No Rio de Janeiro, Alemanha x Argentina se tornará a final mais vezes disputada da história - três. Os argentinos foram campeões em 1986, no México, com os alemães dando o troco quatro anos depois, na Itália.

Apesar de vitoriosos, o futebol de ambos os países vive um jejum de títulos: a Alemanha não é campeã mundial desde 1990, nem europeia desde 1996; já a Argentina levou a Copa pela última vez em 1986, e a Copa América mais recente remete ao ano de 1993. Venceu também as Olímpiadas de 2004 e 2008, um título que para o futebol é considerado menos relevante.

Pelo que fizeram nas últimas partidas, a Alemanha chega embalada por ter eliminado as equipes campeãs mundiais França, ao controlar o jogo e fazer 1 a 0, e Brasil, quando atropelou o time anfitrião ao marcar cinco gols em 29 minutos e vencer por 7 a 1, maior derrota brasileira da história.

Direito de imagem AP
Image caption Thomas Muller, com cinco gols, joga pela primeira vez uma final de Copa do Mundo

A Argentina teve um caminho teoricamente menos complicado. Mesmo sem mostrar um grande futebol, a equipe passou pela primeira fase com três vitórias em três jogos, e depois superou Suíça, Bélgica e Holanda - esta última superada apenas nos pênaltis após empate sem gols.

E o fato da disputa ser no Brasil só eleva o tamanho da possível conquista. Os alemães estabeleceram uma relação de carinho muito próxima aos brasileiros, desde cantar o hino do Esporte Clube Bahia até vestir camisas do Flamengo na concentração ou enviar mensagens em português nas redes sociais da internet.

Para a Argentina, voltar a ser campeão no país vizinho e com o qual mantém a maior rivalidade futebolística seria a consagração para uma das torcidas que mais canta nas arquibancadas desta edição do torneio.

Direito de imagem AFP
Image caption Na terceira Copa da carreira, Messi desta vez chegou bem longe, e agora busca o título

Disputas individuais

Individualmente, dois jogadores que estarão na final ainda sonham com a artilharia. O argentino Lionel Messi tem quatro gols na Copa, enquanto Thomas Muller tem cinco. O maior goleador é James Rodríguez, da Colômbia, com seis.

No gol, o alemão Neuer e o argentino Romero disputam o prêmio de melhor goleiro do Mundial ao lado do já eliminado Navas, da Costa Rica - uma boa atuação na final pode ser o diferencial.

Na linha, sete finalistas concorrem ao troféu de melhor jogador do torneio. Além de Muller, Kroos, Lahm e Hummels representam a Alemanha na lista dos dez principais nomes do Mundial. Além de Messi, Mascherano e Di María são os concorrentes do lado da Argentina.

Direito de imagem AFP
Image caption Romero, da Argentina, e Neuer, da Alemanha, disputam também o prêmio de melhor goleiro

"Certamente não vai ser fácil para nós. Mas estou convencido que se conseguirmos colocar nossas qualidades em campo, vamos ganhar esse título", disse o meio-campista alemão Schweinsteiger na última entrevista coletiva antes do jogo.

"Alemanha é forte física e taticamente. Não por acaso é o país que mais chegou em finais", colocou o técnico argentino Alejandro Sabella.

Notícias relacionadas