Israel e Hamas concordam com cessar-fogo de 5 horas em Gaza

Gaza (Reuters) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Saldo da operação em Gaza é de 220 palestinos e um israelense mortos

Israel e o grupo palestino Hamas concordaram em respeitar um cessar-fogo de cinco horas na Faixa de Gaza nesta quinta-feira, depois de nove dias de combates que já deixaram 220 palestinos e um israelense mortos.

O Exército de Israel anunciou que interromperia sua ofensiva aérea para permitir que residentes de Gaza tenham acesso a suprimentos.

O brigadeiro israelense Yoav Mordechai disse à BBC Árabe que o cessar-fogo foi solicitado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e outras organizações internacionais.

O porta-voz do Hamas, Sami Abu Zukhri, disse que o grupo também irá interromper os disparos de foguetes contra território israelense.

Um comunicado militar israelense advertiu que o país responderá "com firmeza e determinação" se o Hamas lançar ataques durante o cessar-fogo.

Israel lançou sua operação militar em 8 de julho com o objetivo declarado de interromper os ataques de foguetes palestinos contra seu território.

No entanto, a ONU diz que a maioria dos mortos em Gaza têm sido civis. Israel acusa o Hamas de usar a população civil como escudo para esconder a sua infraestrutura militar.

A ONU diz que pelo menos 1.370 casas foram destruídas em Gaza e mais de 18 mil pessoas foram deslocadas desde o início da ofensiva.

Crianças mortas

Quatro meninos de uma mesma família estão entre os mortos por ataques israelenses na quarta-feira. Eles morreram enquanto brincavam em uma praia perto da cidade de Gaza. Testemunhas disseram que o local foi atingido duas vezes.

Militares israelenses disseram estar "investigando cuidadosamente" o incidente de "resultado trágico" e que, "com base nos resultados preliminares, o alvo deste ataque eram agentes terroristas do Hamas".

O Exército israelense costuma atingir áreas abertas do litoral que alega serem usadas por militantes como zonas de lançamentos de foguetes.

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Familiares reagem à morte de quatro crianças vítimas de ataque aéreo israelense em Gaza
Direito de imagem BBC World Service
Image caption Militantes palestinos têm atirado dezenas de foguetes contra cidades israelenses, incluindo Ashkelon
Direito de imagem BBC World Service
Image caption Familiares enterram primeiro israelense vítima de conflito em Gaza

O Hamas descreveu o ataque como um crime de guerra e pediu condenação da ONU.

A imprensa israelense informou que o Hamas apresentou uma lista de dez pré-requisitos para uma trégua de dez anos com Israel. As exigências incluiriam a flexibilização do bloqueio econômico a Gaza, o fim dos ataques israelenses ao território e a construção de um aeroporto e um porto.

O Exército de Israel diz que seu escudo antimísseis Domo de Ferro abateu 23 foguetes lançados de Gaza na quarta-feira, enquanto outros acertaram alvos sem causar vítimas.

Israel mobilizou dezenas de milhares de soldados na fronteira com Gaza em meio a especulações sobre uma possível invasão terrestre.

Notícias relacionadas