Costa do Marfim proíbe voos de três países afetados pelo ebola

Oficial de saúde da Nigéria usa um termômetro em um trabalhador na chegada do Aeroporto Internacional Murtala Muhammed, em Lagos, Nigéria (BBC)
Image caption Os exames foram intensificados nos aeroportos de toda a África Ocidental

A Costa do Marfim proibiu todos os voos de passageiros dos três principais países atingidos pelo ebola em uma tentativa de evitar a propagação do vírus mortal.

É o segundo país, depois da Arábia Saudita, a impor tal proibição, diante a crescente preocupação sobre o surto atual, que já matou cerca de 1.000 pessoas.

A medida abrange Guiné, Libéria e Serra Leoa, que são os países mais afetados pelo ebola, segundo autoridades da Costa do Marfim - e exclui a Nigéria, onde um décimo caso de ebola foi confirmado.

Não há cura para o ebola, que já infectou pelo menos 1.779 pessoas desde que o novo surto foi relatado pela primeira vez na Guiné, em fevereiro deste ano.

Os sintomas iniciais semelhantes a uma gripe podem levar à hemorragia externa de áreas como olhos e gengivas, e hemorragia interna que pode levar à falência de órgãos; os pacientes têm mais chance de sobreviver se receberem tratamento precoce.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou emergência internacional de saúde e está promovendo, em Genebra, uma reunião com médicos especialistas para discutir a ética do uso de drogas experimentais em pacientes.

Direito de imagem AFP
Image caption Padre espanhol que estava infectado com o vírus Ebola na Libéria foi levado para casa para tratamento

Um padre católico romano, infectado com o ebola na Libéria, está sendo tratado com a droga experimental, Zmapp, em um hospital de Madrid.

A droga também tem sido usada nos Estados Unidos, em dois trabalhadores humanitários que têm apresentado sinais de melhora.

Proibição

O governo da Costa do Marfim, disse em um comunicado que tinha proibido "transporte de passageiros" de países atingidos pelo surto, informa a agência de notícias AFP.

A declaração não listou os países, mas um funcionário do Ministério da Saúde confirmou à BBC que a medida se refere a Guiné, Libéria e Serra Leoa - e não atinge a Nigéria.

A Costa do Marfim faz fronteira com a Libéria e com Guiné.

Medidas preventivas foram intensificadas no aeroporto internacional da principal cidade do país, Abidjan, e "todos os passageiros que chegarem terão suas temperaturas averiguadas com um termômetro infravermelho", informa a agência de notícias AFP.

O ministro da Saúde da Nigéria Onyebuchi Chukwu disse que uma enfermeira foi a última pessoa a ser diagnosticada com ebola no país mais populoso da África.

Ela contraiu o vírus de funcionário do governo liberiano Patrick Sawyer, que morreu de ebola na Nigéria no mês passado.

As companhias aéreas British Airways, Pan-African Asky e Arik Air suspenderam voos para Libéria e Serra Leoa e a Emirates Airlines suspendeu os voos para Guiné.

A proibição da Arábia Saudita visa evitar que as pessoas da Libéria, Serra Leoa e Guiné visitem locais sagrados do Islã até que o vírus seja controlado.

Notícias relacionadas