Polícia Federal prende o médico foragido Roger Abdelmassih no Paraguai

Roger Abdelmassih é preso no Paraguai | Foto: Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai Direito de imagem SENAD
Image caption Médico foi condenado por múltiplos estupros em clínica de reprodução assistida

O médico Roger Abdelmassih, condenado por mais de 50 agressões sexuais contra pacientes de sua clínica de reprodução assistida em São Paulo, foi preso pela Polícia Federal nesta terça-feira em Assunção, no Paraguai.

O criminoso havia sido condenado a 278 anos de prisão e era considerado foragido desde 2011 – quando tentou tirar um passaporte e teve revogado o habeas corpus que permitia que respondesse a recursos da sentença em liberdade.

Desde que começou a ser acusado de molestar pacientes em 2008, Abdelmassih vem afirmando ser inocente das acusações. Ele chegou a dizer ter que as acusações seriam motivadas por vingança.

Até então o médico era considerado um dos maiores especialistas em reprodução assistida do país. Algumas de suas pacientes o acusaram de agressões sexuais que ocorreriam dentro de sua clínica.

Segundo as vítimas, os ataques teriam acontecido quando as vítimas estavam sozinhas com o médico em salas de consulta ou recuperação. Algumas afirmaram ter sido abusadas enquanto estavam dopadas por medicamentos.

Deportação sumária

A Polícia Federal afirmou que a prisão foi feita em parceria com a Senad (Secretaria Nacional Antidrogas, um dos mais importantes órgãos policiais do Paraguai).

A deportação do foragido para o Brasil deve acontecer de forma "sumária", segundo a PF. Ele seria levado para a sede da instituição em Foz do Iguaçu ainda nesta terça-feira e posteriormente transferido para São Paulo.

Abdelmassih chegou a ficar cerca de cinco meses preso em 2009, mas obteve o direito de responder ao processo em liberdade devido a uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal).

Por causa disso, após ser condenado em 2010, pôde continuar em liberdade, a espera do julgamento de recursos. Esse benefício foi revogado no ano seguinte após tentar tirar um passaporte. Desde então passou a ser considerado foragido.

Notícias relacionadas