Menino chinês encontra espada de 3 mil anos sem querer

TV chinesa divulga imagem da espada (Foto: Anhui TV/Youku.com) Direito de imagem Anhui TV Youku
Image caption Espada pode ter pertencido a alguma das primeiras dinastias chinesas

Um menino chinês descobriu, sem querer, uma espada de bronze de cerca de 3 mil anos, perdida em um rio da província de Jiangsu (leste do país).

Yang Junxi, de 11 anos, disse que estava lavando as mãos no Rio Laozhoulin quando encostou em um objeto duro que estava submerso. Acabou "pescando" a velha e enferrujada espada, uma relíquia dos primórdios da civilização chinesa.

A descoberta, feita em 2 de julho, foi revelada nesta segunda-feira pela agência noticiosa estatal chinesa Xinhua.

Junxi levou a espada para casa, e o objeto rapidamente despertou a curiosidade dos vizinhos. A família do menino decidiu mandá-la a especialistas para análise em 3 de setembro.

"Algumas pessoas até ofereceram muito dinheiro para comprar a espada", disse o pai do menino, Yang Jinhai. "Mas achei que seria ilegal vender a relíquia."

Arqueólogos calculam que a espada, de 26 centímetros, possa ser da dinastia Shang ou da dinastia Zhou - que estão entre as primeiras dinastias chinesas e cujos registros datam a partir do século 18 antes de Cristo.

Símbolo de poder

Lyu Zhiwei, representante do Escritório de Relíquias Culturais de Gaoyou (região onde a espada foi encontrada), disse que o objeto parece ter tido uso tanto decorativo quanto prático.

Seu formato, diz ele, sugere que a espada provavelmente era usada por um oficial civil como símbolo de status.

"Seu dono devia ser um homem poderoso com a qualificação para ter o artefato", afirmou à Xinhua.

Esse é o segundo objeto de bronze encontrado na região recentemente. Autoridades locais agora planejam escavar o rio em busca de mais artefatos de valor histórico.

Segundo a Xinhua, a família do garoto que descobriu a relíquia recebeu uma compensação não especificada e um certificado por ter entregue a espada às autoridades.

Notícias relacionadas