Escócia rejeita em plebiscito separação do Reino Unido

Escócia (Reuters) Direito de imagem Reuters
Image caption Comparecimento nas urnas foi recorde e contagem atravessou a madrugada na Escócia

A Escócia votou para continuar como parte do Reino Unido, rejeitando a independência em plebiscito realizado na quinta-feira.

A apuração das urnas nas 32 regiões administrativas escocesas foi concluída na manhã desta sexta-feira. O "Não" (contra a independência) obteve 2.001.926 de votos, contra 1.617.989 do "Sim". Em percentuais, a vitória foi de 55,3% contra 44,7%.

Direito de imagem xx

O comparecimento às urnas foi alto, com participação de 84,59% dos eleitores registrados - o maior em um pleito no Reino Unido desde que as mulheres conquistaram o direito ao voto, em 1928.

O plebiscito encerrou dois anos de campanha e dá início a um processo de devolução de mais poderes à Escócia.

O primeiro-ministro, David Cameron, disse logo após o anúncio do resultado que o Reino Unido vai cumprir agora as promessas de dar mais poderes ao Parlamento escocês. Cameron, que sempre fez campanha contra a independência, se disse contente com o resultado.

Por sua vez, o líder do Executivo escocês, Alex Salmond, que liderou a campanha pela independência, disse nesta sexta-feira que irá apresentar sua renúncia ao cargo em novembro.

Antes, ele havia aceitado a derrota, pedido a união dos escoceses e que as promessas de devolução de maiores poderes ao Parlamento escocês fossem cumpridas.

Direito de imagem BBC World Service

Mais de 4 milhões de pessoas – ou 97% do eleitorado – se registraram para votar no plebiscito. Pela primeira vez, eleitores de 16 e 17 anos também puderam participar da votação.

Salmond disse que o plebiscito e o alto comparecimento são um "triunfo para o processo democrático" e prometeu que cumprirá sua promessa de respeitar o resultado e trabalhar pelo benefício da Escócia e o Reino Unido.

Ele também destacou que partes da comunidade alheias à política foram engajadas pela campanha e pediu a seus partidários que refletissem o que tinham alcançado. "Não acredito que nenhum de nós, não importa quando entramos na política, teria pensado que tal coisa seria verossímil ou possível", disse ele.

Direito de imagem AP
Image caption Primeiro-ministro escocês, Alex Salmond, pediu o cumprimento de promessas de maiores poderes
Direito de imagem Getty
Image caption Partidários do "Não" reagem ao anúncio de resultados na Escócia em plebiscito que rejeitou independência

O político trabalhista e ex-ministro das Finanças britânico Alistair Darling, que liderou a campanha "Melhor Juntos" - contrária à independência -, disse que os escoceses "escolheram unidade ao invés de divisão e mudanças positivas ao invés de uma separação desnecessária".

"É um resultado importante para a Escócia e também para o Reino Unido como um todo", disse.

Segundo ele, o resultado "reafirma tudo o que temos em comum e os laços que nos unem" e disse: "Que eles nunca sejam quebrados".

Darling reconheceu que a campanha apontou para a necessidade de mudanças, e apontou para o alto comparecimento nas urnas, dizendo que pessoas alheias à política participaram do plebiscito em grandes números. "Ao comemorarmos, vamos também ouvir", disse ele.

15 horas de votação

Os eleitores tiveram de responder à pergunta: "A Escócia deve se tornar independente"?

Glasgow, a maior área administrativa da Escócia e a terceira maior cidade na Grã-Bretanha, votou a favor da separação - 194.779 contra 169.347. Dundee, West Dunbartonshire e North Lanarkshire também votaram pelo "Sim".

Mas a capital escocesa, Edimburgo, rejeitou independência - 194.638 votos contra 123.927. O "Não" também venceu em Aberdeen por uma margem de 20.000 votos. A rejeição à independência também teve ampla vantagem em muitas outras áreas.

Direito de imagem EPA
Image caption Contagem de votos de plebiscito ocorreu durante a madrugada
Direito de imagem AP
Image caption Celebrações foram realizadas em diversas cidades na Escócia com anúncio de resultados
Direito de imagem Getty
Image caption Partidária da independência chora diante de resultado de plebiscito que rejeitou separação da Escócia

O plebiscito começou às 7h locais (3h de Brasília) de quinta-feira e durou 15 horas, terminando às 22h locais (18h de Brasília).

A votação transcorreu tranquilamente em boa parte do dia nas 5.579 seções eleitorais espalhadas por todo o território escocês.

Segundo a Comissão Eleitoral, responsável pela votação, as seções eleitorais permaneceram cheias durante o dia, mas não houve registro de longas filas.

Notícias relacionadas