Morte de macaco faz 200 rasparem a cabeça na Índia

Moradores de Dakachya raspam cabeça por macaco | Foto: BBC Direito de imagem BBC World Service
Image caption Moradores de vilarejo rasparam cabelo e barba em 'homenagem' a macaco morto

Cerca de 200 pessoas de um vilarejo indiano rasparam suas cabeças em luto pela morte de um macaco que ficava no templo hindu local.

O animal se afogou em uma lagoa enquanto fugia da perseguição de cachorros.

Com receio de que sua morte traga má sorte à população local, os moradores fizeram uma procissão funerária e cremaram o macaco de acordo com o ritual hindu.

Outros 700 habitantes do vilarejo também rasparam suas barbas.

Os macacos são considerados sagrados pelos hindus e há templos dedicados ao deus macaco Hanuman por toda a Índia.

Hanuman geralmente é representado com um corpo humano, um rosto vermelho de macaco e um rabo. Seus seguidores acreditam que adorá-lo os liberta do medo e do perigo.

'Muito agourento'

O macaco morto era parte de um casal que vivia próximo a um templo dedicado à Hanuman no vilarejo de Dakachya, no Estado indiano de Madhya Pradesh.

Ele se afogou no dia dois de setembro e seu corpo foi descoberto por moradores no dia seguinte.

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Milhares de moradores da região frequentaram festa de 11 dias para rezar pela alma do macaco
Direito de imagem AFP
Image caption Macacos são comuns na Índia e são considerados sagrados por hindus

"Os mais velhos disseram que a morte de um macaco dentro da comunidade é algo muito agourento. Tivemos medo de que nos trouxesse má sorte, alguma calamidade natural", disse Mithun Patel, morador de Dakachya.

"Então decidimos apaziguar a alma do macaco para garantir que nada aconteceria a nosso vilarejo."

Depois que o macaco foi cremado, os homens locais rasparam suas cabeças e barbas em sinal de luto.

Um grupo de moradores também viajou até a cidade sagrada hindu de Haridwar para jogar as cinzas do macaco no rio Ganges.

O início das festividades de 11 dias para rezar pela alma do macaco foi adiado para um domingo para que as crianças também pudesse participar, segundo Patel.

Milhares de moradores de vilarejos próximos também compareceram.

O evento custou cerca de 150 mil rúpias (R$ 5.800) a Dakachya. O dinheiro foi conseguido com doações dos moradores.

Notícias relacionadas