Cidade dos EUA vai multar quem desperdiçar comida

Crédito: BBC
Image caption Nova lei foi aprovada por unanimidade em Seattle; 40% dos alimentos nos EUA são jogados fora; indicam estimativas

A cidade de Seattle, no noroeste dos Estados Unidos, criou uma lei para multar moradores e estabelecimentos comerciais por desperdiçar comida.

Segundo as novas regras, casas serão multadas em US$ 1 (aproximadamente R$ 2,40) se suas latas de lixo contiverem mais de 10% de restos de comida, enquanto que estabelecimentos comerciais e prédios residenciais pagarão US$ 50 (R$ 120).

A cidade já recicla 56% de seu lixo, mas quer aumentar a taxa para 60% até 2015.

Seattle, no Estado americano de Washington, é a segunda cidade americana depois de São Francisco a tornar obrigatória a compostagem como forma de reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

A compostagem é o processo de decomposição do lixo em materiais orgânicos utilizáveis na agricultura.

Até 40% da comida nos Estados Unidos é desperdiçada, segundo um relatório do Conselho de Defesa dos Recursos Naturais.

Apenas 5% dos restos de alimentos são submetidos à compostagem, segundo a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA, na sigla em inglês).

A cidade vai começar a emitir avisos a partir do dia 1º de janeiro de 2015 e a multar clientes após 1º de julho, prevê a lei, que foi aprovada por unanimidade na segunda-feira (22).

Segundo as novas determinações, quando os garis de Seattle constatarem excesso de restos de comida em um lixo, vão contabilizá-lo em um sistema de computadores e a multa será acrescentada à conta de lixo que todos têm de pagar.

Prédios residenciais e estabelecimentos comerciais também serão obrigados a limitar a quantidade de comida desperdiçada, mas vão receber dois avisos antes de ser multados, segundo o jornal The Seattle Times.

Autoridades locais não esperam que o programa vá aumentar a arrecadação da cidade, afirmou ao jornal Tim Croll, diretor de resíduos sólidos da Seattle Public Utilities.

Ele acrescentou que a cidade coletou menos de US$ 2 mil (R$ 4,4 mil) durante nove anos de um programa similar que proibiu as pessoas de jogar itens recicláveis no lixo.

"O objetivo aqui não é aumentar a arrecadação", disse Croll. "Nós nos importamos mais em lembrar as pessoas a separar seus próprios lixos".

Notícias relacionadas