Invasão à Casa Branca derruba chefe do serviço secreto dos EUA

Diretora Serviço Secreto dos EUA, Julia Pierson / Crédito: AP Direito de imagem AP
Image caption Julia Pierson estava sendo pressionada no cargo pela sequência de lapsos do serviço secreto dos EUA

Menos de um dia após sofrer duras críticas do Congresso ao tentar explicar como um homem armado invadiu a Casa Branca no mês passado, a diretora do Serviço Secreto dos Estados Unidos, Julia Pierson, renunciou ao cargo nesta quarta-feira.

O anúncio ocorre depois de vários incidentes que revelaram falhas na segurança do presidente Barack Obama.

No mais recente, em 19 de setembro, o veterano de guerra Omar J. Gonzalez, armado com uma faca, pulou a cerca da Casa Branca, correu pelo gramado, confrontou um agente, entrou na residência presidencial e chegou a percorrer alguns cômodos antes de ser contido.

A invasão ocorreu poucos minutos depois de o presidente e sua família deixarem a Casa Branca.

O Secretário de Segurança Interna, Jeh Johnson, indicou Joseph Clancy, um ex-agente que já havia atuado na segurança do presidente, para ocupar o cargo interinamente.

Segundo o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, o presidente Obama telefonou para Pierson após o anúncio e agradeceu o serviço à agência e ao país.

Competência

Com 30 anos de atuação no Serviço Secreto, Pierson havia assumido no ano passado a direção da agência - que até então estava desgastada após diversos escândalos envolvendo agentes em missões no exterior.

A pressão por sua renúncia aumentou após o depoimento ao Congresso, na terça-feira, no qual ela assumiu as responsabilidades pelas falhas e disse que medidas de segurança adicionais já haviam sido adotadas.

Parlamentares democratas e republicanos colocaram em dúvida a competência do Serviço Secreto de proteger o presidente e pediram uma investigação sobre a conduta da agência.

Direito de imagem EPA
Image caption Novo portão foi colocado cercando a Casa Branca para fortalecer a segurança

Entre as críticas está também o fato de o Serviço Secreto ter inicialmente omitido alguns detalhes sobre o incidente, como o fato de o invasor estar armado e ter entrado em alguns cômodos da Casa Branca.

Na terça-feira, o jornal The Washington Post revelou que o invasor, Omar J. Gonzalez, foi detido por um agente que estava fora de serviço e estava deixando a residência no momento da invasão.

O incidente foi o último de uma série de lapsos na segurança do presidente. No mesmo dia que o Washington Post noticiou detalhes sobre a invasão da Casa Branca, foi revelado também que um segurança privado armado havia estado em um elevador ao lado do presidente Obama em visita a Atlanta no mês passado.