Seu chefe é covarde? Saiba como detectar e lidar com o problema

Chefe e empregado. Foto: Thinkstock Direito de imagem THINKSTOCK
Image caption Maus chefes não defendem seus empregados de críticas em público

Ninguém gosta de ter que lidar com conflitos, brigas e discussões no ambiente de trabalho. Nesses momentos, o papel do chefe é fundamental no escritório para conseguir administrar os ânimos e tomar decisões com justiça.

A última coisa que queremos é um supervisor agindo covardemente ou perdendo o comando de seus subordinados.

Apresentamos esta questão a duas pessoas do grupo LinkedIn Influencers – profissionais tidos como muito influentes nos seus ramos de trabalho, segundo a rede social voltada para relações profissionais.

Confira abaixo as dicas deles sobre como ser um chefe corajoso diante de situações difíceis:

Rob Wyse, Diretor da Capital Content

O diretor da empresa americana de recrutamento de líderes elaborou uma lista com "sinais de que seu chefe é um covarde".

Ele pede que seus relatórios sejam divulgados por seus subordinados. "Esse é provavelmente o ato mais covarde de um chefe. Se ele faz isso, é porque ele gosta de ter autoridade do seu cargo, mas foge da responsabilidade", diz Wyse.

Ela toma decisões a portas fechadas, e não defende seus subordinados em público quando as idéias fracassam. "Esse é um comportamento clássico de quem não tem autoconfiança e tem muito medo de errar. Além disso, é uma pessoa na qual não se pode confiar."

Ele sempre joga um comentário negativo sobre um colega em qualquer conversa. "Ele pode estar tentando dar a impressão de que tem confiança e intimidade com você, ao falar mal de outro. Mas você pode apostar que ele também está falando mal de você ao outro."

Ele não faz encontros ao vivo para resolver problemas. "Esse comportamento é consistente em pessoas que passam um recado diferente a cada pessoa. Se ela não consegue reunir todos na mesma sala para resolver as diferenças ou expor e lidar com problemas, ela não poderia usar sua tática preferida, de 'dividir e conquistar'."

Ele sempre fala em conversas privadas "o que o outro quer ouvir". Isso é um sinal claro de que seu chefe está usando a tática de 'dividir e conquistar'. Em vez de divulgar uma mensagem clara a todos, que seja consistente, ele prefere controlar cada pessoa individualmente ao seu redor. Isso é um sinal de péssima liderança.

Brian Ferreira, executivo da Gartner

Quando o chefe é omisso ou pouco confiável, as pessoas precisam resolver seus problemas diretamente com os colegas. O executivo da empresa de tecnologias de negócios elaborou uma lista de dicas sobre como manter a calma e lidar com problemas no escritório.

Reconheça a realidade e saiba do que você está falando. "A pessoa com quem você está discutindo com intensidade pode não ter estar a par de todo o contexto da situação. Ouça com perspicácia para identificar qual informação eles não entenderam ou onde podem estar mal-informados. Mas também se certifique de que não é você que está mal-informado."

Isso é puro negócio, não é nada pessoal. "A maior parte das discussões acontece porque as pessoas sentem que não estão sendo ouvidas. Algumas pessoas são dominantes demais e fazem 'bullying' com os demais. Uma forma de se manter calmo é lembrar que isso se refere apenas ao trabalho – não é nada pessoal. Isso ajuda a afastar as emoções do debate profissional."

Aprenda a recuar – mesmo quando está certo. "Pense o quão disposto você está de levar uma discussão adiante. Se ela continuar por muito tempo, ficará claro que não existe uma solução simples. Se a discussão chegou ao ponto imaturo de ofensas, acusações e ataques pessoais, pare de discutir."

Notícias relacionadas