Boca de urna projeta Dilma e Aécio no segundo turno

Dilma e Aécio (Reuters) Direito de imagem Reuters
Image caption Pesquisas nas últimas semanas indicavam tendência de crescimento de Aécio Neves

Fechadas as urnas em todo o país, o primeiro levantamento sobre a eleição para presidente indica que o Brasil voltará a votar em 26 de outubro, em um segundo turno que irá opor a presidente Dilma Rousseff (PT) e o candidato do PSDB, Aécio Neves.

Segundo a pesquisa de boca de urna Ibope, a presidente teria confirmado seu favoritismo e recebido 44% dos votos válidos, contra 30% para Aécio.

Marina Silva (PSB), que até pouco tempo aparecia à frente de Aécio nas pesquisas de intenção de voto, viria em terceiro, com 22% dos votos válidos.

Caso o cenário se confirme, o Brasil voltará a decidir nas urnas entre nomes que representam as duas forças políticas dominantes da política nacional há cerca de 20 anos, o PSDB e o PT.

Tal resultado também representaria uma amarga derrota para Marina Silva, alçada como titular na chapa do PSB depois da morte do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), em um acidente aéreo em agosto.

Mudança de cenário

Após ganhar destaque nas pesquisas após a morte, chegando a superar Dilma em projeções para o segundo turno, Marina perdeu parte de seu apoio nas últimas semanas ao virar alvo preferencial de seus rivais.

Já Aécio, que havia caído para o terceiro lugar com a entrada de Marina e chegou a ser visto por alguns analistas como fora do jogo, vinha em trajetória ascendente.

Pesquisa Ibope divulgada no sábado sugeria Dilma com 46% dos votos válidos, Aécio com 27% e Marina com 24% - os últimos dois tecnicamente empatados, mas dentro da margem de erro, de 2 pontos percentuais.

Já levantamento Datafolha, também divulgado no sábado, apontava Dilma com 44% dos votos válidos, Aécio com 26% e Marina com 24% - também em empate técnico dentro da mesma margem de erro.