#SalaSocial Boca de urna do Ibope erra resultados no RJ e RS

Direito de imagem Ag Brasil

A pesquisa de boca de urna divulgada após o término da votação neste domingo errou nos números apontados para alguns estados. Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul foram os locais que apresentaram maior discrepância entre o resultado nas urnas e as porcentagens mostradas pelo Ibope, que deveriam indicar quais seriam os eleitos.

Para o governo do Rio de Janeiro, de acordo com a boca de urna, Luiz Fernando Pezão (PMDB) teria 34% dos votos e disputaria o segundo turno com Antony Garotinho (PR), que aparecia com 28%. Marcelo Crivella (PRB) ficaria em terceiro, com 18% dos votos, bem distante do segundo colocado. A margem de erro era de dois pontos percentuais.

Na prática, porém, o resultado foi bem diferente: Pezão manteve-se em primeiro, mas com 40% dos votos; Garotinho acabou em terceiro, com 19%, e Crivella terminou com 20%, superando o ex-governador e indo para o segundo turno.

No Rio Grande do Sul, mais um erro considerável da boca de urna. Para o Senado, a pesquisa do Ibope apontava Olívio Dutra (PT) eleito com 37% dos votos, contra os 31% de Lasier Martins (PDT). Após a contagem dos votos, no entanto, a vaga ficou com Lasier, que teve 37% dos votos, enquanto Olívio ficou com 35%.

Na eleição para o governo gaúcho, o boca de urna também errou feio. O ibope deste domingo indicava Tarso Genro (PT) com 35% e José Ivo Sartori (PMDB) com 29%. Ana Amélia (PP) aparecia com 26% e, devido à margem de erro, até poderia, segundo a boca de urna, ir para o segundo turno. A apuração dos votos mostrou, porém, Sartori na frente, com 40% dos votos, e Genro com 32,5% - ambos disputarão o segundo turno no dia 26.

Já na pesquisa para presidente, o Ibope não mostrou algo muito diferente do que aconteceu, mas, ainda assim, errou. A boca de urna apontava Dilma Rousseff (PT) - com 44% dos votos - e Aécio Neves (PSDB) – com 30% - no segundo turno, e Marina Silva com 22%. Na prática, a atual presidente recebeu 41,5% dos votos, o tucano ficou com 33,5% e a ex-senadora com 21% (o único acerto, dentro da margem de erro).

O boca de urna do Ibope ouviu 64.200 pessoas em todo o Brasil.

Leia mais: Como Aécio virou o jogo e chegou ao 2º turno

Além dos resultados de Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, também surpreenderam as apurações de São Paulo, Ceará e Bahia quando comparadas aos números da boca de urna di Ibope.

Entre os paulistas, a pesquisa apontava Geraldo Alckimin (PSDB) reeleito com 52% dos votos, o que, dentro da margem de erro, ainda deixava a dúvida de se haveria ou não segundo turno.

O atual governador ficou com 57% no fim, vencendo tranquilamente a eleição no primeiro turno e fora da margem de erro da pesquisa. Paulo Skaf (PMDB) e Alexandre Padilha (PT), ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente, e dentro da margem de erro. Skaf tinha 22% na pesquisa e recebeu 21% dos votos, e o petista tinha 20% e ficou com 18%.

Para o senado paulista, o boca de urna também errou longe da margem de erro. José Serra (PSDB) superou Eduardo Suplicy (PT) e ficou com a vaga, mas o placar foi de 58% a 32%, em vez de 49% a 34%, como apontava o Ibope deste domingo.

Na Bahia, a pesquisa mostrava uma possibilidade maior segundo turno para o governo, com Rui Costa (PT) com 49% dos votos e Paulo Souto (DEM) com 39%. Na prática, o cargo foi definido neste domingo – Rui Costa teve 54% dos votos, e Paulo Souto não chegou a 38%.

O Ceará também teve um resultado que destoou da boca de urna. Pela pesquisa, Eunício (PMDB) teria 49% dos votos e iria para o segundo turno com Camilo (PT), que apareceu com 44%. Na apuração, porém, o petista terminou na frente, com 47% contra 46% do peemedebista.

Em Pernambuco, houve uma discrepância grande na porcentagem do vencedor. O Ibope apontava Paulo Câmara (PSB) eleito governador com 58% dos votos, contra 38% de Armando Monteiro (PTB). Na realidade, o candidato que herdou os eleitores do ex-governador pernambucano Eduardo Campos, venceu o pleito com 68% dos votos – 10 pontos a mais do que o apontado pela boca de urna.

Leia mais: Dilma vence 1º turno com menor votação desde Collor

Redes Sociais

Internautas aproveitaram suas contas no Twitter e Facebook para externar indignação com os erros nas indicações das pesquisas de boca de urna.

Direito de imagem

Direito de imagem
Direito de imagem
Direito de imagem
Direito de imagem
Direito de imagem

Acertos

Apesar de alguns resultados equivocados, a boca de urna conseguiu cravar o placar eleitoral de Minas Gerais. Tanto para o governo, apontando Fernando Pimentel (PT) com os exatos 53% dos votos que ele recebeu, quanto para o Senado, com Antônio Anastasia (PSDB) somando 56% dos votos.

No Distrito Federal, o Ibope também acertou ao mostrar Rodrigo Rollemberg (PSB) na frente com 44% - ele teve 45% - e Jofran Frejat (PR) com 29% - teve 28% - indo para o segundo turno.

A pesquisa também acertou na mosca o resultado do Paraná, onde Beto Richa (PSDB) foi reeleito com 55% dos votos, superando Roberto Requião (PMDB), que teve 27%.