Paredão das urnas elimina BBBs; veja esta e outras curiosidades do 1º turno

Credito: BBC
Image caption Seis ex-BBBs se candidataram, mas apenas um foi eleito

A maior parte dos ex-BBBs que se candidataram nestas eleições não conseguiu passar pelo paredão das urnas.

Dos seis vencedores que tentaram um lugar nas Assembleias, apenas Jean Wyllys (PSOL) conseguiu se eleger. Kleber Bambam (PRB) desistiu antes das eleições e os outros perderam.

A BBC Brasil compilou esta e outras curiosidades sobre as eleições 2014:

BBBs

Dos 14 campeões do reality show Big Brother Brasil, da Rede Globo, seis se candidataram a deputado.

Jean Wyllys se reelegeu deputado federal pelo Rio de Janeiro com quase 145 mil votos. Ele foi o 7º candidato mais votado do estado.

O desempenho, porém, não se repetiu com seus colegas de reality.

Maria Melilo (PSC-SP), vendora da 11ª edição, ficou com cerca de 3 mil votos ao tentar se eleger deputada federal. O candidato à Câmara Federal Diego Alemão (PV-RJ) teve quase 5 mil, e Fael Cordeiro (PSB-MS), que tentava ser deputado estadual, teve quase 14 mil. A eliminada com menos votos foi Cida Santos (PT do B-RJ), que conseguiu o apoio de apenas 167 eleitores em sua tentativa de se eleger deputada federal.

Kleber Bambam (PRB), ganhador da 1ª edição, retirou sua candidatura para deputado estadual em São Paulo pouco antes da votação.

Lanterna

O candidato menos votado para presidente foi Rui Costa Pimenta, do PCO. Ele conquistou 12.324 votos, ou 0,01% do total.

Ficha-suja

Barrado pela Lei da Ficha Limpa, o deputado federal Paulo Maluf (PP) conquistou 250.296 votos em sua tentativa de reeleição.

Ele ainda terá um recurso julgado pelo Supremo Tribunal Federal.

Caso os votos sejam validados pela corte, ele terá sido o oitavo mais votado em São Paulo.

Apesar disso, o total de votos obtido pelo ex-prefeito de São Paulo quase metade do total que ele obteve há quatro anos, quando se elegeu com 497 mil votos.

Melhor e pior cidade

Na cidade com maior IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do Brasil, São Caetano do Sul (SP), o senador Aécio Neves (PSDB) ficou na frente. O tucano conquistou 60,05% dos votos. A ex-senadora Marina Silva (PSB) teve 18,93%, e a presidente Dilma Rousseff (PT), 14,9%.

Já na cidade com menor IDH, Melgaço (PA), Dilma obteve 59,89% dos votos. Aécio ficou com 31,57% e Marina com 7,78%.

Berço

Na cidade natal de Dilma e Aécio, Belo Horizonte, o senador levou a melhor: obteve 53,87%, enquanto Dilma ficou em segundo, com 25,11%. Marina conquistou 16,65% dos votos.

Marina venceu na cidade em que nasceu, Rio Branco, com 58,36%. Dilma angariou 18,08% dos votos e Aécio, 22,53%.

Bloco do (nem) eu sozinho

Entre os candidatos a deputado estadual, 84 tiveram zero voto. Nem eles votaram em si mesmos...

Estados

Direito de imagem BBC World Service

Dilma teve seu melhor desempenho no Piauí, com 70,6% dos votos. A pior perfomance da presidente foi no Distrito Federal, onde conquistou 23,02% dos eleitores.

Já Aécio se saiu melhor em Santa Catarina, onde foi escolhido por 52,89% dos eleitores. Dessa forma, se dependesse dos catarinenses, o tucano teria sido eleito no primeiro turno.

Sua pior votação foi em Pernambuco, em que ficou com 5,92%.

A maior vitória de Marina foi em Pernambuco, estado de Eduardo Campos - de quem ela era vice até o acidente aéreo que matou o ex-governador, em agosto. Foram 48,05% de votos para Marina. A ex-senadora sofreu sua pior derrota em Rondônia, onde ficou com 10,41% dos votos.

Faltosos

A maior abstenção da eleição foi no Maranhão, onde 23,6% dos eleitores não compareceram às urnas.

Os eleitores mais assíduos estão no Amapá. Lá, 89,56% dos eleitores votaram.

Mais votados

O candidato a deputado federal mais votado em relação ao total de eleitores foi Artur Bisneto (PSDB), do Amazonas. O filho do prefeito de Manaus, Artur Virgílio (PSDB), obteve 15,13% dos votos - ou quase 251 mil votos.

O mais votado em números absolutos, Celso Russomanno (PRB), teve mais de 1,5 milhão de votos, mas ficou com 7,26% do total em São Paulo.

Notícias relacionadas