Apresentador de TV usa mesmo terno por 1 ano para denunciar 'sexismo'

Karl Stefanovic | Crédito: The Today Show/Nine Network Direito de imagem The Today Show
Image caption Karl Stefanovic disse que usou a peça no ar ininterruptamente em solidariedade às colegas de trabalho

Para denunciar o que chamou de 'sexismo' na TV, um apresentador da Austrália afirmou ter usado o mesmo terno azul durante um ano – e sem ser notado.

Karl Stefanovic disse que usou a peça ininterruptamente durante o período em solidariedade às colegas de trabalho.

"Ninguém reparou", afirmou. "Mas quando as mulheres usam a cor errada são duramente criticadas. Elas dizem uma coisa errada e há milhares de tuítes sobre o erro".

Stefanovic é apresentador do Today, programa veiculado às manhãs pela emissora Channel Nine na Austrália.

O âncora, de 40 anos, metade dos quais dedicados à TV, é um rosto conhecido no país, já tendo participado de diversos programas de celebridades.

Em entrevista ao jornal The Age, Stefanovic afirmou que sua colega na bancada, a jornalista Lisa Wilkinson, recebe regularmente mensagens de telespectadores e comentários na imprensa sobre as roupas que escolhe para usar em frente às câmeras.

"As mulheres são julgadas de forma muito mais severa e profunda pelo que fazem, pelo que dizem e pelo que vestem", afirmou o apresentador.

"Usei o mesmo terno em frente às câmeras por um ano – salvo em alguns raros momentos".

"Sou julgado pelas minhas entrevistas, pelo meu senso de humor – ou seja, pela maneira como eu desempenho minhas funções, basicamente. Enquanto isso, as mulheres são normalmente julgadas pelo que estão vestindo ou por seu cabelo."

Stefanovic contou que começou o ‘experimento’ ao usar o terno por dois dias consecutivos. Como não obteve nenhuma reação dos telespectadores ou da imprensa, decidiu continuar usando a peça ininterruptamente. Os dias deram lugar a meses e depois de um ano ninguém ainda havia reparado que o apresentador não trocava de roupa.

"Só a Lisa e a Sylvia (apresentadora e produtora do programa) sabiam sobre a história do terno. Várias vezes elas me diziam que eu já estava fedendo", brincou Stefanovic.

"Espero poder pelo menos lavar meu terno no fim deste ano."