Hotel recua após 'multar' hóspedes que o criticaram em site de viagens

Crédito: Trip Advisor Direito de imagem Trip Advisor
Image caption Tony e Jan Jenkinson receberam fatura de 100 libras no cartão de crédito após comentário negativo sobre pernoite em hotel

Um hotel britânico voltou atrás após "multar" um casal de hóspedes em 100 libras (cerca de R$ 400), depois que eles descreveram o estabelecimento como "um casebre podre e fedorento" no site de dicas e avaliações de viagens Trip Advisor.

Tony e Jan Jenkinson postaram o comentário negativo depois de passarem uma única noite no Broadway Hotel, em Blackpool, no noroeste da Inglaterra.

Dias depois, o casal constatou a fatura de 100 libras em seu cartão de crédito. O hotel alegou que fazia parte de sua política cobrar por "comentários negativos".

O Trading Standards (o Procon britânico), que está investigando o caso, disse que o hotel prometeu não fazer mais cobranças do tipo no futuro.

A reportagem da BBC não conseguiu entrar em contato com a direção do hotel - cuja multa, segundo autoridades, seria uma violação do código de defesa do consumidor.

Reembolso

O hotel havia alegado que fazia parte de sua "política" cobrar por "comentários negativos".

"Em cada crítica deixada em qualquer site, cobraremos uma taxa de no máximo 100 libras (R$ 400) por comentário negativo", afirmava uma das diretrizes do Broadway Hotel, reunidas em um documento à disposição dos hóspedes.

Leia mais: Resenhas falsas afetam varejo online e preocupam autoridades

John Greenbank, diretor do serviço de proteção ao consumidor no norte da Inglaterra, afirmou que se surpreendeu com a cobrança.

"Trabalho aqui há muitos anos e nunca vi nada semelhante."

"A administração desse hotel pensa claramente que inventou uma maneira de impedir comentários negativos, mas consideramos a atitude uma prática lesiva ao código de defesa do consumidor."

O casal solicitou o reembolso do valor cobrado por meio da administradora de seu cartão de crédito.

Segundo John McCreesh, do Serviço de Proteção ao Consumidor do Reino Unido, "os consumidores precisam ter liberdade para ser honestos sobre os serviços que recebem".

"Proprietários de hotéis devem focar em melhorar seu serviço em vez de tentar calar clientes insatisfeitos por meio de ameaças ou multas."

"As pessoas têm o direito de demonstrar sua insatisfação se o hotel onde ficaram não atender a suas expectativas. Acredito que, de forma alguma, devem ser impedidas de dizer o que querem".

O editor de viagens do jornal britânico The Independent ressalta que, ainda que a cobrança seja "completamente descabida", ela evidencia "o desespero" vivenciado por muitos donos de hotéis com relação a resenhas online - já que alguns clientes têm ameaçado escrever críticas em sites caso não recebam descontos na estadia.