Peru investiga morte de 500 leões-marinhos

Crédito: BBC
Image caption Governo local acusou pescadores por envenenamento; episódio não foi caso isolado

Autoridades do Peru estão investigando o que causou a morte de 500 leões-marinhos em uma praia no litoral norte do país.

O governo local acusou pescadores de envenenarem os mamíferos, que costumam se aproximar das zonas costeiras em busca de alimento.

Mas a polícia ambiental do Peru está analisando outras possíveis causas para as mortes, incluindo doença e ingestão acidental de plástico.

Os corpos dos animais foram achados na praia de Anconcillo, na região conhecida como Ancash, no norte do país.

Autoridades afirmaram que os cadáveres eram tanto de leões-marinhos jovens quanto velhos, informou a agência de notícias estatal Andina.

Por oferecerem riscos à saúde pública, os corpos foram rapidamente removidos da praia, que se localiza a 400 quilômetros ao norte da capital do país, Lima.

No início deste mês, um incidente similar ocorreu também no norte do país, mas na região da Piura, onde aproximadamente 200 leões-marinhos, golfinhos, tartarugas e pelicanos foram encontrados mortos.

Autoridades ainda estão investigando as causas das mortes.

Em 2012, centenas de golfinhos foram encontrados mortos ao longo do litoral do Peru.

Na ocasião, ambientalistas da ONG Orca atribuíram as mortes às explosões ligadas à exploração de petróleo na região. Segundo eles, as detonações provocavam barulho e ondas de pressão que prejudicavam os animais.

Mas um relatório conduzido pelo órgão federal Instituto Marítimo (Imarpe) descartou que as causas das mortes estivessem associadas a explosões para a perfuração de poços de petróleo ou a infecções por vírus ou bactéria.

Segundo o Imarpe, as mortes aconteceram por "causas naturais".