Onibus oferece banho a sem-teto em San Francisco

BBC
Image caption Projeto "Lava Mae" busca resgatar dignidade de quem vive na rua

Sem ter onde morar, os sem-teto normalmente enfrentam uma dificuldade constante: não têm onde tomar banho.

Uma iniciativa inovadora em San Francisco, nos Estados Unidos, busca dar uma solução para este problema ao oferecer um banheiro completo para a população de rua dentro de um ônibus.

O projeto "Lava Mae" foi criado pela executiva de marketing Doenice Sandoval, que venceu um concurso do Google, o "Global Impact Challenge" (Desafio do Impacto Global, em inglês).

Leia mais: Moradores de rua do Rio ganham biografia em versão de projeto de NY

Ela ganhou um prêmio de US$ 100 mil (R$250 mil) para colocar a ideia em prática.

"Estamos oferecendo higiene móvel mas também se trata de resgatar dignididade e humanidade", diz Sandoval.

"Esperamos, assim, eliminar obstáculos para oportunidades como participar de uma entrevista de emprego ou buscar uma moradia, o que é muito difícil de fazer se você não consegue se limpar."

Image caption Espaço é equipado com chuveiro, privada, pia e um espaço para trocar de roupas

Inspiração

O ônibus é equipado com dois banheiros, cada um deles com um chuveiro, uma privada, uma pia e um espaço para trocar de roupa.

Ambos são adaptados para pessoas com deficiências físicas.

A inspiração de Sandoval veio de um dia em que ela se deparou com uma moradora de rua que chorava, porque "nunca conseguiria ficar limpa".

Leia mais: Ex-chef vai parar nas ruas e dá volta por cima como guia de turismo

Image caption Um dos problemas enfrentados por sem-teto é manter-se limpo

Decidiu, então, bolar uma forma de permitir que os cerca de 7 mil sem-teto de San Francisco pudessem ter acesso a higiene básica.

O ônibus circula por áreas da cidade com alta concentração de sem-teto durante quatro dias da semana.

"Temos visto muitas famílias, que vêm aqui com crianças pequenas", explica Sandoval.

Ampliação

Image caption Doenice Sandoval quer ter quatro ônibus em funcionamento até o fim do ano

Ela espera ter quatro ônibus em funcionamento dentro de um ano e diz que recebeu mensagens de pessoas de todo o mundo interessadas em replicar o modelo.

O projeto foi implantado em meio a um debate na cidade sobre o impacto das empresas de tecnologia do Vale do Silício sobre o mercado imobiliário local, que presenciou uma explosão no preço dos aluguéis nos últimos dois anos.

Leia mais: Ex-sem teto, 'brasileiro' vira mentor de moradores de rua na Espanha

Grandes empresas, como Google, Facebook e Twitter, foram acusadas de não contribuir para reduzir a população de rua de São Francisco.

"Algumas empresas, como o Google, estão tentando ajudar e gerar um impacto nas comunidades em que estão inseridas", diz Sandoval.

"É um trabalho complexo. Não as invejo por isso"

Notícias relacionadas