Tufão já mata pelo menos três nas Filipinas e provoca fuga de um milhão

Crédito: AFP Direito de imagem AFP
Image caption Tufão Hagupit leva telhado de casas, causa enchentes e provoca pelo menos três mortes

O tufão Hagupit chegou às Filipinas no último sábado e já deixou alguns estragos. Segundo autoridades locais, pelo menos três pessoas já morreram no país em decorrência da tempestade.

Cerca de um milhão de pessoas deixaram suas casas para se proteger do tufão que, no entanto, tem provocado menos danos do que se imaginava a princípio. O país estava se preparando para enfrentar a tempestade e temia que ela causasse tantos estragos quanto aqueles causados pelo Haiyan no ano passado – o maior tufão da história, que atingiu as Filipinas em novembro de 2013 deixando mais de 7 mil mortos ou desaparecidos.

Ainda assim, a tempestade deste ano está deixando rastros. Em Tacloban, uma das cidades mais atingidas pelo Haiyan no ano passado, telhados foram arrancados com a força do vento e ruas ficaram alagadas.

Se ontem, o Hagupit trazia ventos a 195 Km/h, neste domingo as rajadas enfraqueceram um pouco e variaram entre 140 km/h e 170 Km.

'Preparado'

Autoridades dizem que o país está mais preparado do que estava em 2013 e conseguiu organizar a maior evacuação da história das Filipinas em tempos de paz.

Direito de imagem EPA
Image caption Moradores da região costeira fogem da tempestade causada pelo tufão

Em algumas regiões, porém, como a da costa leste das Filipinas, o tufão causou estragos maiores.

O prefeito de Dolores, primeira cidade atingida pelo Hagupit no sábado, afirma que lá cerca de 80% das casas foram destruídas. Um morador morreu após uma árvore ter caído em cima dele.

Direito de imagem EPA
Image caption Mais de 500 mil pessoas já deixaram suas casas; escolas, igrejas e estádios viram abrigos para moradores

As duas outras mortes confirmadas aconteceram na província de Iloilo – a causa das mortes foi hipotermia.

Segundo a correspondente da BBC News em Legazpi, Saira Asher, as principais cidades que estiveram no caminho do tufão, por enquanto, conseguiram evitar maiores estragos. Mas agora a grande preocupação paira sobre o norte e o leste de Samar, onde há muitas pequenas comunidades isoladas.

Estragos

A Cruz Vermelha das Filipinas disse que as equipes deles estão tentando chegar a essas áreas, mas enchentes e árvores caídas estão bloqueando o caminho.

Até que equipes de resgate consigam chegar a essas comunidades isoladas, é difícil prever qual será a dimensão do impacto do tufão no país ou o número de vítimas, segundo Asher.

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Imagem do satélite

O Hagupit é um tufão que se move devagar, o que significa que há um risco alto de as chuvas e tempestades se prolongarem provocando mais enchentes e estragos. Embora provavelmente não aconteça nada parecido com o que chocou o país no ano passado, ainda há motivos para se preocupar com a passagem do Hagupit.

Direito de imagem EPA
Image caption Moradores das Filipinas pedem ajuda e doação de alimentos

O tufão ainda está indo em direção ao oeste das Filipinas – espera-se que ele cruze a ilha de Sibuyan no início da manhã de segunda-feira. De acordo com a agência de previsão do tempo Pagasa, o tufão deve deixar o país na quinta-feira.

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Projeções para o tufão Hagupit

Cerca de 19 mil pessoas de regiões costeiras estão espalhadas por 26 centros de evacuação, de acordo com o que disse o porta-voz do departamento de desastres das Filipinas, Ilderando Bernadas, à Reuters.

Notícias relacionadas