EUA negam que 'Estado Islâmico' tenha derrubado avião jordaniano

Raqqa Media Center Direito de imagem BBC World Service
Image caption Grupo partidário do Estado Islâmico publicou fotos que mostrariam piloto jordaniano capturado

Os Estados Unidos afirmaram nesta quarta-feira que que o avião de guerra jordaniano que caiu no norte da Síria não foi derrubado pelos militantes do grupo Estado Islâmico.

Nesta quarta-feira o Exército da Jordânia infomou que os militantes do grupo tinham capturado o piloto da aeronave.

O piloto foi identificado como o tenente Moaz Youssef al-Kasasbeh, de 26 anos. Ele nasceu na cidade de Karak, e está na Força Aérea jordaniana há seis anos.

O grupo jihadista reivindica ter abatido a aeronave com um míssil perto da cidade de Raqqa, considerada a capital do território sob seu controle, que inclui ainda áreas da Síria e do Iraque.

Em uma declaração, o Comando Central americano (Centcom) afirmou que condena as ações do Estado Islâmico e confirmou que o grupo "capturou o piloto".

Mas, não informou o que poderia ter causado a queda do avião.

"As provas indicam claramente que o EI não derrubou a aeronave como a organização terrorista está alegando", informou o órgão do governo americano.

Os Estados Unidos enviaram aviões depois da queda do jato jordaniano, mas o piloto foi capturado antes da tentativa de resgate, segundo declarações de uma autoridade americana à agência de notícias Reuters.

Os militares jordanianos divulgaram uma declaração afirmando que a a "Jordânia responsabiliza e grupo e seus apoiadores pela segurança do piloto e pela vida dele".

Image caption Piloto que foi tomado como refém pelo Estado Islâmico após queda de aeronave na Síria
Direito de imagem BBC World Service
Image caption Combatentes do Estado Islâmico colocam partes do avião jordaniano em carro

Esta é a primeira aeronave da coalizão liderada pelos Estados Unidos a ser perdida em território do Estado Islâmico desde que os ataques aéreos começaram, em setembro.

Não estava claro se a aeronave teve problemas mecânicos ou se realmente foi derrubada pelo Estado Islâmico. No entanto, acredita-se que a defesa aérea do grupo seja limitada.

No passado, combatentes do grupo derrubaram aeronaves e helicópteros iraquianos e sírios.

Leia mais: 'Fui vendida por R$35 como escrava sexual pelo Estado Islâmico'

O Estado Islâmico publicou fotos que mostram o piloto. O centro de mídia Raqqa, pró-Estado Islâmico, também publicou uma foto no Facebook mostrando homens armados retirando o piloto do que parece ser um lago ou rio.

Aparentemente, Kasasbeh conseguia ficar de pé, mas estava sangrando pela boca. Ele vestia apenas uma camiseta branca.

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Exército jordaniano disse que aeronave fazia parte de operação contra alvos do Estado Islâmico em Raqqa
Direito de imagem BBC World Service
Image caption Aeronave caiu perto de um rio na cidade síria de Raqqa, no norte do país

Uma legenda o identificou como o tenente Kasasbeh e, depois, uma foto que aparentemente mostrava seu cartão militar foi publicada.

O pai dele confirmou que o militar havia sido capturado na Síria em entrevista ao jornal jordaniano Saraya.

Coalizão

A Jordânia é uma das quatro nações árabes que integram a coalização liderada pelos EUA que tem atacado alvos do Estado Islâmico na Síria desde setembro.

Além da Jordânia, forças dos Emirados Árabes Unidos, da Arábia Saudita e do Barein participam da ofensiva.

Aviões do governo sírio também bombardeiam a região de Raqqa com frequência. Na terça-feira, um ataque aéreo matou mais de 20 pessoas, segundo o Observatório.

Austrália, Bélgica, Canadá, Dinamarca, França, Holanda e Reino Unido participam da ofensiva dos EUA contra o Estado Islâmico no Iraque.

Notícias relacionadas