Papa fala de violência contra crianças em 'Natal com muitas lágrimas'

Papa (Getty) Direito de imagem Getty
Image caption Papa estaria tentando impulsionar reformas no Vaticano

Em sua tradicional mensagem de Natal, o papa Francisco lembrou as mortes infantis em conflitos mundiais e citou as mais de 132 crianças mortas no Paquistão em um atentado realizado na semana passada, realizado pela milícia islâmica extremista Talebã.

"Jesus salve as inúmeras crianças vítimas de violência, feitas objeto de comércio ilícito e tráfico de pessoas ou forçadas a tornar-se soldados. Dê conforto às famílias das crianças que, na semana passada, foram assassinadas no Paquistão", disse.

Dezenas de milhares de pessoas compareceram à praça de São Pedro, em Roma, para ouvir o pontífice argentino proferir a sua mensagem natalina, a Urbi et Orbi.

Leia mais: 'Frustrado', papa critica burocracia e 'terrorismo da fofoca' no Vaticano

"Verdadeiramente há tantas lágrimas neste Natal juntamente com as lágrimas do Menino Jesus", afirmou o pontífice.

Francisco também condenou a "brutal perseguição" a minorias étnicas e religiosas na Síria e no Iraque, em referência à ação do grupo islâmico extremista autodenominado Estado Islâmico.

O papa voltou a reforçar pedidos por diálogo entre israelenses e palestinos. E ainda pediu paz na Ucrânia, na Nigéria, na Líbia no Sudão do Sul e em outras regiões africanas abaladas por conflitos.

Leia mais: Jornalista que obteve acesso raro ao 'EI' relata 'medo e brutalidade' em Mosul

Em seu pronunciamento, ele também agradeceu as vítimas da epidemia de ebola no oeste da África.

"Que ele (Deus) esteja próximo de todos os que sofrem doenças, especialmente as vítimas de epidemia de ebola, sobretudo na Libéria, em Serra Leoa e na Guiné. Eu agradeço todos os que corajosamente se dedicam a ajudar os doentes e seus familiares. Mais uma vez reitero meu apelo urgente para que a assistência necessária seja dada e que o tratamento seja providenciado."

Foi o segundo Natal do papa desde que ascendeu ao papado no ano passado.

Notícias relacionadas