Voo QZ8501: 40 corpos já foram resgatados, diz Marinha

Credito: AFP Direito de imagem AFP
Image caption Objetos que podem ser do avião da AirAsia foram avistados perto da ilha indonésia de Bornéu

Pelo menos 40 corpos já foram retirados das águas do Mar de Java pelas equipes de busca do voo QZ8501, da AirAsia, que desapareceu no domingo (noite de sábado no Brasil), segundo agências de notícias internacionais e a mídia indonésia.

A informação foi confirmada às agências AFP e Reuters pelo porta-voz da Marinha da Indonésia Manahan Simorangkir, com base nas informações dos navios que participam da operação de resgate.

Autoridades indonésias afirmaram nesta terça-feira que estão "95% seguras" os destroços localizados pertencem ao avião da AirAsia.

Equipes de busca avistaram corpos no mar, além de destroços da aeronave, como uma porta de emergência. Eles afirmam também que é possível ver uma sombra embaixo d'água com o formato do avião.

A aeronave que fazia o voo QZ8501 da AirAsia desapareceu no Mar de Java, perto da costa da Indonésia.

Segundo as autoridades locais, os objetos avistados no mar tinham as cores branca e vermelha, as mesmas da pintura da fuselagem do Airbus A320-200 que desapareceu quando transportava 162 pessoas entre Indonésia e Cingapura.

O chefe da operação de resgate, Bambang Soelistyo, afirmou que todas as equipes que participam das buscas estão indo para o local.

Os destroços e corpos encontrados serão levados, segundo ele, para Pangkalan Bun, uma cidade na província de Kalimantan central.

Leia mais: 'Quero meu filho de volta', diz pai do piloto

Image caption Buscas pela aeronave se concentravam em 13 áreas diferentes no mar e em terra.

As buscas, que entraram nesta terça-feira em seu terceiro dia, foram ampliadas para cobrir 13 áreas diferentes no mar e também em terra.

Os objetos e corpos avistados nesta terça-feira estavam no Mar de Java, perto da ilha indonésia de Bornéu.

Ao menos 30 navios, 15 aviões e 7 helicópteros participam das operações, lideradas pela Indonésia com auxílio da Malásia, de Cingapura e da Austrália.

Outros países, como Coreia do Sul, Tailândia, China e França, também ofereceram ajuda. Os Estados Unidos ofereceram um destróier, que estava a caminho da região nesta terça-feira.

Leia mais: Conheça a AirAsia, empresa de avião desaparecido

Direito de imagem AFP
Image caption Autoridades dizem ter 95% de certeza de que os destroços encontrados são do avião desaparecido
Direito de imagem n
Image caption Todas as equipes de buscas foram enviadas para o local onde destroços foram avistados

Antes de avistarem objetos no mar, autoridades indonésias haviam informado que estavam investigando relatos de fumaça vista em uma ilha próxima à ilha Belitung, um dos pontos focais das buscas, mas especialistas disseram que isso poderia não estar relacionado ao avião desaparecido.

O avião transportava 137 adultos e 18 crianças, além de sete tripulantes.

A maioria das pessoas a bordo era da Indonésia, mas havia também três cidadãos da Coreia do Sul, um de Cingapura, um da Malásia e um do Reino Unido.

Leia mais: Dono da AirAsia se diz 'arrasado' com sumiço de avião

O avião havia decolado de Surabaya, na Indonésia, às 5h35 locais (20h35 do dia anterior em Brasília) e deveria chegar a Cingapura cerca de duas horas depois.

Autoridades de aviação locais afirmaram que o capitão pediu permissão para elevar a altitude do avião, mas que após a permissão ser concedida, a comunicação com a aeronave foi perdida.

A companhia AirAsia tinha até então um histórico de segurança excelente, sem nenhum acidente fatal envolvendo seus aviões.

Notícias relacionadas