AirAsia: equipes iniciam varredura eletrônica no fundo do mar

Bote de buscas Direito de imagem EPA
Image caption As operações de busca já resgataram 22 corpos, mas a fuselagem do Airbus permanece desaparecida

As buscas pela voo QZ8501 da Air Asia entraram numa nova fase nesta sexta-feira. A chegada de equipamento especializado em detecções submarinas à região onde o avisão supostamente caiu no Mar de Java, na Indonésia, fez com que as operações se concentrassem em varreduras do fundo do mar.

Uma equipe de técnicos franceses está usando aparelhos acústicos para tentar detectar os sinais sonoros emitidos pelas caixas-pretas do Airbus 320-200.

O voo QZ8501 ia de Surabaya, na Indonésia, para Cingapura, com 162 pessoas a bordo, quando despareceu na noite de sábado. As causas do acidente ainda não são conhecidas e no último contato dos pilotos com os controladores de tráfego aéreo não houve qualquer menção a situações de emergência.

As equipes de resgate já recolheram 30 corpos. Quatro vítimas já foram identificadas, entre elas está um membro da tripulação e um garoto de 4 anos.

Para as autoridades da Indonésia, é praticamente certo que o avião esteja no fundo do Mar de Java, que é relativamente raso.

Leia mais: Voo QZ8501: AirAsia confirma que destroços são do avião

Caixa-preta

Bambang Soelistyo, chefe dos serviços de resgate, estima que a fuselagem do Airbus 320-200 esteja a uma profundidade de 25 m a 30 m.

Direito de imagem Getty
Image caption As autoridades indonésias acreditam que os corpos da maioria das 162 pessoas a bordo ainda estejam presas na fuselagem do Airbus 320-200

Diversos fragmentos da aeronave já foram recuperados, incluindo o que se acredita ser parte do "flap" de uma das asas.

Mas, depois de cinco dias de buscas, a fuselagem ainda não foi encontrada. E as autoridades acreditam que a maioria dos corpos dos passageiros ainda pode estar dentro dela.

As buscas tem sido prejudicadas por mau tempo e águas revoltas, o que impede a visualização dos destroços e forçaram o uso de equipamento de detecção.

Leia mais: Indonésia identifica primeiro corpo de vítima do voo QZ8501

Localizar a fuselagem e as caixas pretas ajudará a solucionar o mistério da queda do Airbus 320-200.

Nesta sexta-feira, Soelistyo disse que destroços e corpos estão espalhados numa área de 5 km do Mar de Java.

Direito de imagem Reuters
Image caption As operações de busca foram prejudicadas pelo mau tempo na regiao do acidente e equipamento de detecção subaquática será necessário

Das 162 pessoas a bordo do voo QZ8501, 155 eram passageiros - 137 adultos, 17 crianças e um bebê. A tripulação era composta por sete pessoas, incluindo dois pilotos. A maioria das pessoas a bordo era da Indonésia.

Especulações

Na ausência de informações mais concretas, uma série de relatos com base em supostas informações passadas por investigadores tem circulado pela internet. A mais recente sugere uma possível perda de controle do avião pelos pilotos quando eles tentaram elevar a altitude do avião para desviar de uma tempestade.

De acordo com informações divulgadas pelas autoridades da Indonésia, no último contato com os serviços de tráfego aéreo os pilotos pediram autorização para subir de 9.753 para 11.582 m antes de perder contato.

O acidente com o voo QZ8501 foi o primeiro com vítimas fatais da história da AirAsia, fundada em 1993.

Notícias relacionadas