Tradição culinária de Ano Novo, 'moti' mata nove no Japão

Bolinho mochi Direito de imagem Getty
Image caption Acidentes com os bolinhos de arroz levaram 18 pessoas ao hospital no Japão durante as comemorações de fim de ano, com 13 em estado grave

Nove pessoas morreram engasgadas no Japão nos últimos dias após comerem um tradicional bolo gelatinoso de arroz.

Conhecido como "mochi" ou moti, como é mais conhecido no Brasil, o bolo faz parte das comemorações de Ano Novo no país. Os japoneses consomem em média um quilo de bolinhos por pessoa.

De acordo com a mídia japonesa, 18 pessoas foram hospitalizadas com casos de asfixia por causa do bolinho e, até sexta-feira, 13 delas encontravam-se em estado grave.

Direito de imagem AFP
Image caption Traidiconal quitute de Ano Novo, o "mochi" tem tradição até na fabricação da massa

O Corpo de Bombeiros do Japão se viu forçado a emitir um comunicado pedindo que crianças e idosos partam o "mochi" em pedaços antes de comê-lo.

Enzima

O bolinho é consumido de forma maciça no Japão durante as festas de fim de ano, como acompanhamento para sopas ou sozinho, de preferência envolto em algas secas.

Casos fatais de asfixia são registrados todos os anos, mas segundo as autoridades japonesas, a última virada do ano teve um número particularmente alto de casos.

Direito de imagem afp
Image caption A consistência gelatinosa do bolinho pode tornar sua deglutição perigosa para crianças e idosos; as autoridades até recomendam o corte do "mochi"

Em 2014, por exemplo, houve quatro mortes, duas a mais que em 2013.

Mais de 80% dos casos de asfixia ocorrem entre a população idosa e a indústria alimentícia japonesa tenta encontrar soluções - um fabricante de Osaka, por exemplo, oferece uma versão do bolinho de arroz que contém uma enzima para torná-lo menos gelatinoso e mais fácil de engolir.

O tradicionalismo do "mochi" envolve até sua fabricação: há cerimônias para bater a massa, por exemplo.