Médico da revista conta como foram momentos após ataque

Credito: AP Direito de imagem AP
Image caption Emocionado, Pelloux contou como foram os momentos seguintes ao ataque

Colaborador da Charlie Hebdo e médico de emergência, Patrick Pelloux chegou à redação da revista momentos após o ataque terrorista que deixou 12 pessoas mortas na quarta-feira.

"Às 11h30, Jean-Luc, o designer gráfico, me ligou dizendo: 'Venha rápido. Precisamos de você'", disse, emocionado, ao canal de TV francês iTele.

Leia mais: Ataque à 'Charlie Hebdo': Suspeitos de massacre estão cercados por polícia na França

Ao receber a ligação, ele achou que era uma brincadeira. "Achei que ele estava brincando porque eu ia passar lá à tarde para desejar Feliz Ano Novo".

Com a voz embargada e lágrimas nos olhos, ele contou que foi imediatamente ao local, acompanhado de bombeiros e paramédicos.

Leia mais: 'República é culpada': Emocionada, namorada de editor morto em ataque a revista acusa governo

"Foi horrível. Muitos já estavam mortos porque foram abatidos em estilo de execução. Nós conseguimos salvar alguns, que nesta manhã estavam bem", contou.

Pelloux disse que foi ao programa de TV para anunciar que a revista iria continuar "porque eles não ganharam".

"Charb, Cabu, Wolinski, Bernard Maris, Honore, Elsa, Tignous, Mustapha e o guarda que foi abatido e tinha recebido a missão de nos proteger não morreram em vão."

Notícias relacionadas