Ação antiterror termina com 2 mortos na Bélgica

Policiais em Verviers, onde polícia matou 2 suspeitos (EPA) Direito de imagem EPA
Image caption Polícia alega que suspeitos abriram fogo em abordagem

Dois suspeitos foram mortos nesta quinta-feira em uma operação antiterror em Verviers, no leste da Bélgica, informaram autoridades.

Um terceiro suspeito ficou ferido e foi detido.

Em entrevista coletiva, representantes da Promotoria belga disseram que os homens são suspeitos de formarem uma célula extremista estarem planejando um ataque "imimente" e de "grande escala" na Bélgica, mas não deu detalhes.

As autoridades alegam que eles estavam armados e abriram fogo contra os policiais que os abordaram. Nenhum policial ou testemunha ficou ferido na operação.

O nível de alerta do país foi elevado, e algumas operações policiais ainda estavam em curso durante a noite.

Testemunhas relataram que houve forte troca de tiros no local e ao menos três explosões.

Leia mais: Novos militantes seguem Al-Qaeda como 'torcedores', diz autor de livro

A Promotoria afirma que os policiais responsáveis pela ação antiterror estavam cumprindo dez mandados de busca pelo país - inclusive na capital Bruxelas -, por supostos integrantes de células extremistas.

Há relatos na imprensa de que os suspeitos teriam voltado recentemente da Síria, mas isso não foi oficialmente confirmado.

Circunstâncias

Pouco antes das operações antiterrorismo, um homem armado foi visto em uma estação de metrô de Bruxelas gritando "Allah Akbar" (Deus é grande). A polícia disse que deteve um suspeito, um homem "totalmente bêbado", mas não deu mais informações.

Também nesta quinta-feira, três belgas membros do grupo autodenominado "Estado Islâmico" (EI) na Síria divulgaram um vídeo convocando os jihadistas europeus a cometer mais atentados no continente.

"Digo a todos os franceses (...) que o EI vai chegar na Europa e que haverá cada vez mais operações em toda a Europa", afirma um dos jovens armados no vídeo de dois minutos descrito pelo jornal La Libre Belgique.

Na segunda-feira a célula antiterrorismo revelou que o EI havia ameaçado de morte os policiais belgas e suas famílias.

Depois das ações policiais desta quinta-feira, a sede da polícia federal e várias delegacias foram evacuadas preventivamente e os policiais foram proibidos de fazer rondas a pé.

O episódio ocorre uma semana depois dos ataques na vizinha França, onde 17 pessoas foram mortas.

A imprensa belga informou que algumas das armas usadas nesses ataques haviam sido compradas perto da estação central de trens de Bruxelas.

*Colaborou Márcia Bizzotto, de Bruxelas para a BBC Brasil