Audiência recorde do papa na Ásia perde para eventos de outras religiões

Missa campal do papa em Manila Direito de imagem AFP
Image caption A missa campal de Francisco na capital das Filipinas bateu o recorde de 5 milhões de pessoas para eventos papais estabelecido por João Paulo II, em 1995.

O público de 6 milhões de pessoas que compareceu à missa campal realizada pelo papa Francisco em Manila nas Filipinas, no domingo, foi um recorde entre eventos papais - superando os 5 milhões que receberam João Paulo 2º no mesmo local, em 1995.

No Rio, em 2013, uma vigília com Francisco reuniu 3 milhões de pessoas nas areias de Copacabana.

Mas e ao comparar a missa filipina com outros eventos religiosos? Guardadas as devidas proporções, o recorde papal leva uma "goleada" da participação popular em celebrações hinduístas ou muçulmanas. Abaixo, uma relação das maiores multidões já registradas em eventos religiosos.

Kumbh Mela - 40 milhões

Direito de imagem Other
Image caption O Kumbh Mela envolve banhos de purificação no rio Ganges e tem duração de 55 dias

O festival hindu de Kumbh Mela, realizado apenas uma vez a cada 12 anos na Índia, frequentemente é descrito como o evento mais "lotado" do mundo. Peregrinos mergulham no rio Ganges durante as celebrações como parte de um ritual de purificação.

Em 2001, 40 milhões de pessoas compareceram ao dia principal de "batismos" e estabeleceram um recorde mundial.

Em 2013, o número total de peregrinos durante os 55 dias de celebrações chegou a 100 milhões de pessoas.

Arbaeen - 17 milhões

Direito de imagem Other
Image caption Durante os 24 anos da ditadura de Saddam Hussein no Iraque, os muçulmanos xiitas foram proibidos de celebrar publicamente o Arbaeen

O Arbaeen é uma celebração de muçulmanos xiitas realizada anualmente na cidade iraquiana de Karbala. Ele marca o fim de um período de 40 dias de luto pela morte de Imam Hussein, neto do profeta Maomé.

Durante os 24 anos do regime de Saddam Hussein, que era sunita, os xiitas foram proibidos de celebrar publicamente o Arbaeen. Tudo mudou depois da deposição do ditador, em 2003.

No ano passado, 17 milhões de pessoas participaram da peregrinação a Karbala.

Funeral de Khomeini - 10 milhões

Direito de imagem Other
Image caption A morte de Khomeini, líder da Revolução Islâmica de 1979, provocou comoção nacional no Irã e levou 6 milhões às ruas de Teerã.

Em 6 de junho de 1989, 10 milhões de pessoas (na época, um em cada seis iranianos), foram às ruas de Teerã para ver a passagem do caixão do aiatolá Khomeini, líder espiritual do país e da Revolução Islâmica que, em 1979, derrubou a monarquia no Irã.

Hajj - 3 milhões

Direito de imagem Other
Image caption As multidões no Hajj já causaram diversos acidentes: em 1990, mais de 1426 peregrinos morreram durante um tumulto na entrada da cidade de Meca

O Hajj é a peregrinação anual dos muçulmanos à cidade sagrada de Meca, na Arábia Saudita, que é o berço do Islamismo. O evento é realizado durante cinco dias, em meses que variam de acordo com o calendário muçulmano - em 2015, por exemplo, será no final de setembro.

O Alcorão, livro sagrado muçulmano, determina que todo fiel apto física e financeiramente tem o dever de fazer a peregrinação pelo menos uma vez. Nos últimos 10 anos, o Hajj levou constantemente mais de 2 milhões de pessoas a Meca. Em 2012, o número chegou a 3 milhões.

Notícias relacionadas