Michelle Obama causa polêmica ao não usar véu na Arábia Saudita

Michelle Obama durante evento oficial na Arábia Saudita Direito de imagem AP
Image caption Michelle acompanhou o marido durante visita oficial ao país

A primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, causou polêmica e foi criticada nas redes sociais por não cobrir a cabeça com um véu durante a visita que realizou na terça-feira à Arábia Saudita acompanhando o marido, o presidente Barack Obama.

Durante a visita, o casal prestou suas condolências à família real saudita pela morte do rei Abdullah.

De acordo com os padrões de conduta para se vestir no reino saudita, mulheres devem usar um véu cobrindo suas cabeças, conhecidos como hijab, e mantos negros quando saem às ruas.

Mas a maior parte das mulheres sauditas usa véus cobrindo também boa parte de seu rosto, chamados de niqab.

A Arábia Saudita segue uma vertente do islamismo conhecida como wahabismo, que pratica uma interpretação literal do Corão, o livro sagrado islâmico.

O reino abre exceções para mulheres estrangeiras, que não são obrigadas por lei a trajar o véu no país. Mas dentro dos rígidos preceitos sauditas, espera-se que usem roupas que cubram boa parte de seus corpos.

Leia mais: Morre Abdullah, o rei que quis reformar a Arábia Saudita

Leia mais: Condenação de blogueiro a chibatadas será reavaliada na Arábia Saudita

A primeira-dama americana vestiu uma jaqueta de mangas compridas com uma camisa por baixo, cobrindo seus braços por completo. Assim como ela, outras mulheres na delegação americana também não usaram véus.

#Michelle_Obama_semvéu

A opção de Michelle Obama gerou uma hashtag em árabe postada 2,5 mil vezes no Twitter - que, traduzida, significa #Michelle_Obama_semvéu.

Muitos internautas sauditas - e muçulmanos de diferentes países - criticaram o gesto da primeira-dama nas redes sociais.

Direito de imagem TWITTER
Image caption Blogueiro saudita criticou primeira-dama por usar véu na Indonésia, mas não na Arábia Saudita

No Twitter, @Riyadh_K_S_A lembrou, em árabe, que a primeira-dama usou o véu na Indonésia, também um país islâmico, mas não na Arábia Saudita.

Outros internautas salientaram o fato de que Michelle Obama não era obrigada a usar o véu tradicional.

Houve ainda manifestações nas redes sociais de pessoas que disseram que o gesto foi um ato político digno de elogios, dado o histórico saudita de desrespeito aos direitos das mulheres e aos direitos humanos como um todo.

O advogado americano Michael C. Barnes comentou em um tuíte que "há uma mensagem de esperança da primeira-dama na escolha de não usar o véu".

Direito de imagem TWITTER
Image caption Internauta americano viu no ato de Michelle Obma 'uma mensagem de esperança'

Mas, como mostrou o BBC Trending, o serviço da BBC que destaca o que está sendo mais comentado e compartilhado nas redes sociais mundiais, os tuítes com a hashtag #Michelle_Obama_semvéu ficaram bem atrás de outros tuítes ligados à visita de Obama.

Por uma exemplo, a hastag #OReiSalmandeixaObama - em referência à informação de que o novo rei saudita interrompeu o encontro com o líder americano para ir rezar - rendeu mais de 170 mil mensagens.

Os tuítes, de maneira geral, expressavam admiração pelo novo monarca do país. Em um deles, um usuário tuitou: "Este é o homem que deixou o líder do país mais importante do mundo para rezar".

Segundo o BBC Monitoring, o departamento da BBC que monitora a cobertura jornalística mundial, muitos usuários de Twitter no mundo árabe usaram a hashtag #Michelle_Obama_semvéu para ridicularizar as duras leis sauditas.

Recentemente, o blogueiro Raif Badawi foi condenado pela Justiça do país ao açoitamento por insultar o Islã.

Mas, como afirmou o jornalista Adam Taylor em texto no jornal Washington Post, "na Arábia Saudita, o simples ato de não cobrir a cabeça pode ser político, quer seja intencionalmente, quer não".