Seis destinos incríveis e pouco explorados

Ilhas Apostle, nos Estados Unidos Direito de imagem Getty
Image caption As Ilhas Apostle oferecem aventuras longe dos parques mais conhecidos dos EUA

A maior parte das maravilhas do mundo já foi bem explorada, mas algumas joias raras conseguiram se manter fora do radar de exploradores e turistas em geral.

Escolhemos nossas favoritas dentre mais de 160 lugares sobre os quais muita gente provavelmente nunca ouviu falar em uma discussão no site de enquetes Quora.com.

As cavernas subaquáticas de Wisconsin

Localizadas no maior lago dos Estados Unidos, as Ilhas Apostle também são conhecidas como as Joias do Lake Superior.

Estas cavernas subaquáticas interconectadas, formadas pelo choque das ondas contra os penhascos de arenito, ficam nas ilhas Devil’s Island e Sand Island, e também na margem do lago.

O local é um ótimo ponto para aventureiros, sem a multidão que lota os parques nacionais mais conhecidos do país.

Jason Nelser, internauta de Minnesota – a terra com 10 mil lagos – conta ter passeado de caiaque pelas cavernas no verão. Mas recomenda uma visita durante o inverno, quando a paisagem muda totalmente por causa dos pingentes de gelo e das estalactites cristalizadas.

Como o Lake Superior congela perto das cavernas, o visitante pode fazer uma caminhada de cerca de 3 quilômetros sobre o gelo pela margem do lago.

Leia mais: Como é a vida nas cidades mais ecológicas do mundo

Leia mais: Conheça sete das estradas mais perigosas do mundo

Um santuário colombiano nas alturas

Direito de imagem Getty
Image caption O Santuário de Las Lajas fica 100 metros acima de um desfiladeiro, na Colômbia

Na cidade de Ipiales, na Colômbia, perto da fronteira com o Equador, uma catedral gótica chamada Santuário de Las Lajas flutua a 100 metros acima de um desfiladeiro sobre o rio Guáitara.

"Parece que a igreja foi lançada das nuvens sobre os Andes", descreve Nataly Kelly, internauta do Quora e moradora de Boston, nos Estados Unidos. "É um dos lugares mais inesperadamente lindos que já vi".

Habitantes locais acreditam que, no século 18, a Virgem Maria fez uma aparição nas paredes de pedra do desfiladeiro e curou de cegueira uma menina e um idoso.

Hoje, essa parede sagrada faz parte dos fundos da catedral, para onde as pessoas ainda fazem peregrinações para rezar e para observar a incrível vista do lugar.

O templo de mármore branco do Rajastão

Direito de imagem Getty
Image caption Construído inteiramente em mármore branco, Ranakpur fica a 90 km da rota turística do Rajastão

Outro usuário do Quora, Mikhael Belanger, que se descreve como um "mochileiro radical", teceu elogios ao Templo de Ranakpur, no noroeste da Índia, um dos maiores templos jainistas do mundo.

"Sua fachada é deslumbrante, mas o interior é de cair o queixo", conta. Totalmente construído em mármore branco, o edifício contém mais de mil pilastras, todas esculpidas elaboradamente com padrões geométricos e outras figuras.

O local sagrado fica a quase 90 quilômetros ao sul da cidade de Udaipur, e sua maior atração fica bem no centro do templo. "São quatro estátuas que vão fazer você arrepiar", diz Belanger. Uma delas, totalmente esculpida a partir de um só bloco de mármore, tem as figuras de 108 serpentes.

Apesar de ser possível encontrar imagens do templo na internet, é terminantemente proibido tirar fotografias do local, o que justifica ainda mais o desvio da rota turística tradicional da região.

Leia mais: Vale das Borboletas, um paraíso intocado na Turquia

Uma montanha mítica no Tibete

Direito de imagem Getty
Image caption O Monte Kailas é um ponto de peregrinação popular entre as religiões orientais

Apesar de o Monte Kailas ser bastante conhecido dos orientais, a montanha de 6.660 metros de altura continua sendo um mistério para turistas ocidentais, que geralmente preferem se aventurar pelos famosos Everest e K2.

Para os habitantes locais, o Kailas é uma poltrona dos deuses, e sua localização perto das nascentes de alguns dos principais rios da Ásia – como o Indo, o Bramaputra e afluentes do Gânges – fazem dele um destino sagrado para hindus, budistas, jainistas e seguidores da antiga religião tibetana Bön.

"Uma das maiores aventuras que já vivi foi dar a volta nessa montanha com um grupo de peregrinos", conta Tyler Baker, de San Francisco. "Comíamos juntos em algumas das casas de chá que estão no caminho".

Muitas pessoas percorrem em apenas um dia a kora, a trilha sagrada de 52 quilômetros que passa ao redor do monte. Para Baker, que não estava acostumado com a grande altitude do lugar, levou três dias para fazer o percurso. "Andei devagar até porque as vistas que se tem dali são incríveis", afirma.

Um misterioso vale no Paquistão

Direito de imagem Getty
Image caption O povo kalash apresenta feições mediterrâneas, bem diferentes dos outros grupos do Paquistão

O internauta Khawar Mahmood, do Sri Lanka, recomenda uma visita ao Vale Kalash, no norte do Paquistão, uma região envolta em mistério por causa do politeísmo dos antepassados do povo kalash e por suas feições mediterrâneas, tão diferentes dos demais grupos étnicos que vivem na região.

"Há uma lenda que diz que cinco soldados das legiões de Alexandre, o Grande se estabeleceram em Chitral (a província mais setentrional do Paquistão) e se tornaram os progenitores dos kalash", conta Mahmood.

A estrada montanhosa que leva ao Kalash é difícil de ser percorrida, mas a viagem é recompensada ao se entrar no vale e avistar seus campos exuberantes. "Alguém disse que esta é a terra onde as fadas vêm dançar. E é verdade", conclui o internauta.

Leia mais: Os segredos para ganhar dinheiro em Las Vegas

O deserto Rub’ al-Khali, a partir de Abu Dhabi

Direito de imagem Getty
Image caption O Rub' al-Khali é o maior deserto de areia do mundo e se estende por quatro países

O vazio desta região – o maior deserto de areia do mundo, situado entre a Arábia Saudita, o Iêmen, Omã e os Emirados Árabes Unidos – foi o que atraiu a usuária do Quora Elizabeth Fagan a visitar o local quando esteve em Abu Dhabi.

"Vi um vídeo no YouTube e não conseguia acreditar que se tratava de um lugar que existia de verdade. Tinha alguma coisa ali que agitou minha alma. Eu tinha que ir até lá pessoalmente", conta ela. "E quando cheguei, era algo mais incrível do que eu imaginava".

Apesar de seu nome, que em árabe quer dizer "quarteirão vazio", o deserto tem algumas fazendas de criação de camelos, usados para transporte e para corridas.

O Qasr al Sarab, o único resort em centenas de quilômetros, frequentemente serve de hospedagem para o xeque dos Emirados Árabes e tem uma das piscinas mais espectaculares do mundo, com um projeto que a torna mais parecida com um oásis natural no meio do deserto.

Leia mais: O seriado que redefiniu Miami

Leia mais: Conheça cinco das cidades mais baratas do mundo

Leia a versão original desta reportagem em inglês no site BBC Travel.