Bagdá celebra fim de toque de recolher após 12 anos

AFP Direito de imagem AFP
Image caption Iraquianos celebraram nas ruas de Bagdá o fim de toque de recolher após 12 anos

Moradores de Bagdá celebraram o fim de um toque de recolher que vigorou por 12 anos na capital iraquiana, adotado para conter a violência após a invasão liderada pelos EUA em 2003.

Imagens divulgadas nas redes sociais mostraram pessoas dançando nas ruas com o fim da restrição, que teve início à meia-noite de sábado no horário local. O toque de recolher restringia o movimento da cidade entre meia-noite e 5h.

O primeiro-ministro do Iraque, Haider al-Abadi, disse ter tomado a decisão para ajudar a normalizar a vida em Bagdá. O fim do toque de recolher foi adotado mesmo após uma série de explosões na capital no sábado, que mataram ao menos 32 pessoas.

Leia mais: Reality show no Iraque confronta jihadistas e famílias das vítimas

Iraquianos tomaram as ruas agitando bandeiras e buzinando após o fim da restrição.

"Antes, nos sentíamos como numa prisão", disse Faez Abdulillah Ahmed, dono de um café, à agência de notícias AFP.

O empresário Marwan Hashem disse: "Espermos por anos por essa decisão".

Explosões e ataques ainda são parte do cotidiano da capital iraquiana. Uma autoridade do gabinete do premiê disse que a decisão de encerrar o toque de recolher foi tomada "apesar da existência de um estado de guerra", informou a agência AFP.

Direito de imagem AFP
Image caption Lojas permaneceram abertas durante a madrugada após o fim da restrição, que vigorava entre meia-noite e 5h
Direito de imagem AFP
Image caption Moradores permaneceram nas rua após a meia-noite
Direito de imagem AFP
Image caption Diversas pessoas agitavam bandeiras e buzinavam para comemorar fim do toque de recolher em Bagdá
Direito de imagem BBC World Service
Image caption Ruas ficaram movimentadas em Bagdá durante a noite
Direito de imagem BBC World Service
Image caption Forças de segurança patrulharam as ruas de Bagdá no sábado à noite
Direito de imagem BBC World Service
Image caption Toque de recolher foi suspenso apesar da onda de ataques no sábado em Bagdá, que matou ao menos 32 pessoas

O governo também enfrenta a ameaça do grupo autodenominado 'Estado Islâmico', que assumiu o controle de grandes regiões iraquianas próximas à capital.

Leia mais: Quanto avançou a luta contra o 'Estado Islâmico?'

A autoria de pelo menos uma das explosões de sábado foi assumida pelo 'EI', segundo um grupo de inteligência que controla a ativista jihadista. O ataque foi realizado por um homem-bomba que detonou seus explosivos perto de um restaurante, matando ao menos 22 pessoas.

Outros ataques foram registrados no sábado, incluindo um em um grande mercado.

Um porta-voz do Ministério do Interior disse não acreditar que os ataques estejam relacionados à decisão de encerrar o toque de recolher, informou a agência de notícias Reuters.

Notícias relacionadas