Maratonista 'exausta' engatinha os últimos 400 m e chega em 3º

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Apesar da exaustão, Hyvon conseguiu engatinhar e chegar no terceiro lugar

Concluir uma maratona já não é fácil, imagine fazer isso engatinhando. Foi o que a atleta queniana Hyvon Ngetich fez no fim de semana.

A corredora de 29 anos estava liderando a prova quando foi acometida pelo cansaço, na altura dos 37 quilômetros; a prova tem 42.

Incapaz de seguir correndo, ela seguiu adiante como pode - recusando a oferta de uma cadeira de rodas. Quando entrou nos últimos 400 m da maratona, ela se viu obrigada a engatinhar, e, mesmo assim, chegou em terceiro lugar.

Em entrevista à BBC, ela disse não se lembrar de ter engatinhado. "Não me lembro do que aconteceu no final. E eu não vi a linha de chegada. Eu acordei em um centro médico e eles me contaram que eu terminei a prova".

Leia mais: É mais difícil correr no deserto do Saara ou no Polo Norte?

"Eu perguntei: 'Eu terminei a prova?'. Eles disseram 'Sim, aqui está sua medalha'. Aí eu disse: 'Não pode ser, eu não terminei a prova. Então me mostraram as fotos de como engatinhei."

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Organizadores ofereceram uma cadeira de rodas, mas a atleta recusou

Hyvon também não se lembra do público gritando o seu nome e encorajando-a no percurso até a linha de chegada.

"Eu senti dor em meus joelhos e percebi que alguma coisa tinha acontecido", disse a maratonista.

Ela aparentemente acionou uma espécie de "piloto automático" e só se lembra do que aconteceu depois de ter visto as fotos.

A dedicação de Hyvon comoveu os organizadores da maratona, que decidiram dar à atleta o prêmio em dinheiro equivalente ao segundo lugar.

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Hyvon não se lembra nem de como terminou a maratona