Dilma anuncia parceria com Facebook para ampliar acesso à internet

Direito de imagem Palacio do Planalto
Image caption Segundo Dilma, acordo visa levar banda larga a populações de baixa renda

A presidente Dilma Rousseff e o criador do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciaram nesta sexta-feira na Cidade do Panamá uma parceria para ampliar o acesso à internet e a serviços públicos no Brasil.

Segundo Dilma, o acordo visa levar conexão de banda larga a populações de baixa renda e a áreas isoladas do país, entre as quais a Amazônia e partes do Centro-Oeste.

"É uma importante parceria que garante acesso aos serviços mais variados via internet", afirmou a presidente, que se encontrou com Zuckerberg à margem da sétima Cúpula das Américas.

Segundo ela, a iniciativa não busca apenas levar a internet a essas áreas, mas ampliar o acesso a serviços públicos por meio da rede.

Dilma afirmou que o projeto é inspirado numa iniciativa que o Facebook mantém no bairro de Heliópolis, em São Paulo.

Neste ano, a empresa abriu um laboratório no bairro paulistano para estimular pequenos comerciantes a anunciar seus serviços virtualmente. Um dos interesses do Facebook no projeto em Heliópolis é testar o potencial de mercados que ainda estão à margem da rede. A empresa estima que metade das pequenas empresas no Brasil ainda não tenham páginas no Facebook.

Leia mais: Dilma completa 100 dias: Economia e popularidade marcam contraste com primeiro mandato

A parceria com o governo brasileiro, contudo, aparentemente será mais ampla que o projeto em Heliópolis e também envolverá serviços públicos, embora os detalhes da iniciativa não estejam claros.

Dilma e Zuckerberg tampouco disseram como o projeto será financiado. Segundo a assessoria da Presidência, o americano viajará ao Brasil em junho para anunciar a parceria oficialmente.

Assessores disseram que o acordo foi negociado durante a conversa entre os dois e ainda precisa ser detalhado.

Segundo Zuckerberg, é a primeira vez que o Facebook fecha um acordo desse tipo com um governo.

"Acredito que o acesso à internet é um pedaço importante de infraestrutura para conectar as pessoas à economia moderna, para obter educação, informação sobre empregos, saúde, para conectar as pessoas a quem elas amam", disse ele.

A iniciativa integra o projetointernet.org, liderado pelo Facebook e que busca ampliar o acesso global à rede. Zuckerberg viajou ao Panamá para divulgar o projeto entre líderes políticos e empresariais da região.

Obama

Antes de se encontrar com Zuckerberg no hotel onde ambos estão hospedados, Dilma participou de um bate-papo em evento empresarial paralelo à cúpula.

Direito de imagem AFP
Image caption Dilma e Obama devem voltar a se reunir neste sábado

Também estavam presentes os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, do México, Enrique Peña Nieto, e do Panamá, Juan Carlos Varela, anfitrião da cúpula.

Cada presidente fez um breve discurso sobre iniciativas de seus governos nas áreas de inovação e parcerias com o setor privado. Depois, os líderes responderam algumas perguntas de empresários.

Leia mais: Estreante em cúpula, Cuba faz ofensiva a empresários

Alinhada com o mote de seu segundo mandato, Dilma enfocou em seu discurso a importância da educação. "Educar é único jeito de assegurar que transformação e inclusão social sejam permanentes", disse.

Ela afirmou ainda que a educação é essencial para que a América Latina agregue valor a seus produtos e supere seu papel histórico de mera exportadora de commodities.

Ao fim do encontro, Dilma e Obama trocaram beijos rapidamente e deixaram o salão sem conversar. Os dois voltarão a se encontrar no sábado, em reunião privada, quando deverão se definir os detalhes da visita da presidente a Washington.

Originalmente marcada para 2013, a viagem foi cancelada após as denúncias de que Dilma fora espionada pela agência de segurança nacional dos Estados Unidos.