Misteriosos pontos de luz reaparecem no planeta anão Ceres

Nasa Direito de imagem NASA
Image caption Nova sequência de imagens mostrou pontos de luz na superfície de Ceres

Os misteriosos pontos brilhantes no planeta anão Ceres estão de volta.

A sonda Dawn, da Nasa, chegou a este pequeno mundo em 6 de março e, agora, está se instalando em sua primeira órbita, a cerca de 13,5 mil quilômetros de sua superfície.

Leia mais: Por dentro da fábrica de superfoguetes da Nasa

Leia mais: Nasa encontra evidências de água líquida em Marte

A aproximação da sonda foi feita pela parte de trás de Ceres, por seu lado "noturno", o que ocultou os pontos luminosos de seu sistema de câmeras e de instrumentos de detecção remota.

Mas, a cada dia que passa, uma porção cada vez maior do solo iluminado pelo Sol pode ser vista por Dawn, o que inclui um de seus aspectos mais enigmáticos.

Uma nova sequência de imagens foi feita há uma semana, quando a sonda ainda estava a 22 mil quilômetros da superfície.

E ela mostra claramente um ponto mais brilhante em meio à paisagem escura.

Hipóteses

Direito de imagem Reuters
Image caption Cientistas não sabem explicar ao certo o que produz estes pontos brilhantes

A equipe científica da missão da agência espacial americana se refere a ele como região cinco ou ponto cinco.

Não se sabe ao certo por que estes pontos refletem a luz solar desta maneira, em comparação com seu entorno.

Leia mais: Nasa prevê descoberta de vida alienígena até 2025

Acredita-se que pode ser por causa da presença de gelo, mas o gelo não seria estável em planeta sem atmosfera.

Outra hipótese é que seja sal, talvez deixado para trás depois que o gelo na superfície se evaporou.

Natureza distinta

Direito de imagem Nasa
Image caption Sonda Dawn chegou ao planeta Ceres no início de março passado

O mais intrigante é que nem todos os pontos brilhantes de Ceres são da mesma natureza.

Outro ponto, conhecido como região um, é muito mais frio que o terreno que o rodeia, algo que não ocorre com o região cinco.

Chris Russell, pesquisador da missão, disse à BBC que o segredo pode estar na composição da superfície.

Leia mais: Europa e EUA preparam missões espaciais 'para o Inferno'

"Um material diferente neste ponto conduz calor de forma diferente em comparação com a outra área", afirmou.

A sonda fará uma intensa observação a partir desta semana. Os resultados estarão disponíveis a partir de maio.

Só então os cientistas poderão dizer com mais precisão o que de fato ocorre em Ceres e com seus pontos luminosos.

Notícias relacionadas