Conheça tecnologias criadas para melhorar sua concentração

Thinkstock Direito de imagem Thinkstock
Image caption Se você está desconcentrado ou procrastina no trabalho, isso pode não ser sua culpa

Antes de você começar a ler esse artigo, uma pergunta: você está realmente prestando atenção?

Provavelmente não, especialmente se você estiver lendo isso no escritório.

Pesquisas indicam que estamos tendo cada vez mais dificuldade em nos desligarmos de estímulos externos e internos. E a culpa é da tecnologia.

A professora Gloria Mark, do Departamento de Informática da University of California, em Irvine, nos Estados Unidos, disse que e-mail, mídias sociais, notificações e várias outras distrações digitais estão destruindo nossa capacidade de focar a atenção em tarefas individuais.

Leia Também: A invenção (e a reinvenção) do 'pau de selfie'

"Em 2004, monitoramos trabalhadores do setor de informação com cronômetros e medimos cada ação (que faziam)", disse Mark.

"Eles mudavam seu foco de atenção, em média, a cada três minutos. Em 2012, observamos que o tempo gasto na tela de um computador antes de que os trabalhadores transferissem seu foco para outra tela era 1 minuto e 15 segundos".

"No verão de 2014, a média foi 59,5 segundos", disse a especialista.

Leia Também: Com 'empurrão' da classe C, smartphones dominam mais de 90% do mercado no Brasil

'Fluxo'

Direito de imagem thinkstock
Image caption Estar rodeado por colegas barulhentos e muito equipamentos tira a concentração

Acadêmicos e cientistas estão cada vez mais interessados nos efeitos da tecnologia sobre o ambiente de trabalho.

Há relativamente poucos estudos a respeito do impacto sobre o trabalho de sites como Twitter e Facebook ou de games como o Candy Crush - que buscam, deliberadamente, manter usuários em conexão constante.

Leia Também: Como usar o Twitter para consguir o emprego dos sonhos

Antropólogos culturais como a professora Natasha Dow Schull, do Massachusetts Institute of Technology (MIT), destacam o trabalho de Mihaly Csikszentmihalyi, que há várias décadas criou o conceito de flow (em tradução livre, fluxo).

Czikszentmihalyi identificou várias características típicas do estado onde a pessoa está concentrada em algo - explicou Schull.

"Tem a ver com uma sensação de controle, de podermos escolher se somos atraídos por algo envolvente, que não vai além de nossa capacidade nem nos deixa confusos e frustrados porque não sabemos como fazer (essa atividade)", explicou Schull à BBC.

"Para obter fluxo, sua atividade precisa se adequar à sua habilidade. Mas descobri, no meu próprio trabalho, que o fluxo não depende apenas de mim e é preciso reconhecer que ele pode ser afetado pelo ambiente"

Soluções

Direito de imagem focusawill
Image caption Site fornece lista de músicas que ajudam ouvinte a se concentrar

O conceito de fluxo forma a base de um serviço de áudio streaming chamado Focus@will.

O serviço busca se fundir ao ruído ambiente de forma tão perfeita que o usuário deixa de notar sua presença, porém, sua mente é mantida em um estado prolongado de fluxo.

Fundado por Will Henshall - ex-integrante da banda de dance music angloamericana Londonbeat - o serviço remixa música de vários tipos e tempos.

A maior parte das faixas começa com uma introdução instrumental básica, mas depois é completamente modificada.

"Descobrimos que não são apenas os vocais. Instrumentos que soam como a voz humana também podem distrair muito (a atenção de quem ouve)", disse Henshall.

"Um bom exemplo é o violoncello, além de saxofones, fagotes, sons sintetizados e guitarras elétricas." Henshall disse ter identificado cerca de 40 outros elementos que, segundo ele, afetam a mente de forma não consciente.

E é por isso que ouvir suas canções favoritas não ajuda sua concentração. Você vai reconhecê-las e, mesmo que momentaneamente, perder sua concentração, explicou.

Segundo os responsáveis pelo Focus@will, dois terços das pessoas podem se beneficiar do serviço - o restante não sente qualquer efeito.

Há várias opções de canais. O Uptempo, por exemplo, para quem gosta de batidas rápidas. O Alpha Chill, mais relaxante. Também há opções para quem busca, por exemplo, o clima de um café bar ou sons de bateria.

Para pessoas com Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), o serviço oferece o canal ADHD (sigla inglesa para Attention Deficit Hyperactivity Disorder) Type 1. Cerca de 4% dos membros ouvem apenas esse canal. Mas para quem não têm o transtorno, esse canal é quase insuportável.

Pesquisas feitas pelo próprio serviço indicam que a metade dos usuários consegue se concentrar por cerca de uma hora sem interrupção. Cerca de 20% conseguem ficar concentrados durante até duas horas.

Os algoritmos do site oferecem uma seleção pessoal de música, baseada em respostas a algumas questões iniciais e também de acordo com a quantidade de tempo que o usuário passa ouvindo as transmissões. Ele também se adapta, ao longo do tempo, segundo o padrão de uso do usuário.

Henshall sugere que o uso de mesas de trabalho acopladas a esteiras para caminhar em combinação com o áudio streaming talvez melhore a concentração de algumas pessoas.

Caminhadas no Escritório

Direito de imagem Zillow Adam Cohn
Image caption Esta esteira é voltada não para corridas, mas caminhadas - e pode ser usada no escritório

O presidente de uma fábrica de esteiras para caminhar, a Lifespan Fitness, disse à BBC que há cada vez mais estudos demonstrando que caminhar no mesmo lugar pode trazer benefícios para a mente.

"Um estudo canadense recente revelou uma conexão entre mesas acoplacas a esteiras para caminhar e melhorias na memória e na concentração", disse Peter Schenk.

"Outro estudo investigou a relação entre mesas com esteira e detalhismo. E um estudo da University of Minnesota que acabou se tornando um importante ponto de referência demonstrou a conexão entre a mesa com esteira e aumentos na produtividade", ele acrescentou.

Algumas técnicas para melhorar a concentração chegaram ao mercado há alguns anos.

Entre elas, a chamada Técnica Pomodoro, criada pelo italiano Francesco Cirillo na década de 80. Seu objetivo permitir um uso eficiente do tempo aliado a concentração máxima.

Direito de imagem BSocial
Image caption Este conjunto de programas para celular ajuda a evitar distrações

A pessoa programa um relógio com alarme para tocar dentro de 25 minutos. Cada período de 25 minutos equivale a um pomodoro (em italiano, tomate). É possível que sejam necessários vários pomodoros para que um projeto seja terminado, mas cada pomodoro deve ser completado sem interruções ou distrações. Entre um pomodoro e outro, a pessoa pode fazer uma pausa de 5 minutos.

A ideia é aumentar a concentração, alcançar um objetivo em estágios e completar o trabalho, evitando que a tarefa se torne pesada demais.

Outro recurso disponível hoje são uma série de Apps que evitam distrações, como FocusMask, OneFocus, Concentrate, B-social e SelfControl. Elas funcionam ao bloqueiar, temporariamente, websites e outras Apps.

Pesquisadores estão esperançosos de que, apesar do impacto negativo da tecnologia sobre nossa capacidade de concentração, experimentos com serviços, softwares e outros aparelhos criados para melhorar nossa atenção tragam resultados positivos.

Notícias relacionadas