Mundial feminino pode 'resgatar credibilidade do futebol', dizem organizadores

AFP Direito de imagem AFP
Image caption Marta é o principal nome da seleção brasileira na competição

A Copa do Mundo de futebol feminino pode resgatar a credibilidade do futebol, disseram or organizadores da competição, que tem início neste sábado no Canadá, com uma partida entre o país-sede e a China.

Esta será o primeiro torneio da Fifa realizado após estourar o escândalo de corrupção envolvendo o alto escalão da entidade máxima do esporte, que levou ao anúncio da renúncia de seu presidente, Joseph Blatter.

Leia mais: Escândalo de corrupção da Fifa: e eu com isso?

Victor Montagliani, da Comissão de Futebol do Canadá, disse que o evento não será prejudicado pela polêmica em torno da Fifa e negou que o país tenha pago para sedir o Mundial, depois de surgiram alegações similares envolvendo as Copas masculinas de 2018 e 2022.

"Nós fomos o único candidato", disse Montagliani, para quem o evento será uma oportunidade de recuperar o prestígio em torno do esporte.

Leia mais: Em meio a denúncias na Fifa, jogadores cobram reformas na CBF

"O futebol feminino é a forma mais pura de futebol. Ele pode lançar uma luz neste momento sombrio pela qual passa o esporte, que perdeu sua bússula moral."

Direito de imagem Getty
Image caption Blatter anunciou nesta semana que renunciará à presidência da Fifa

'Maior Copa'

Esta será a sétima edição da Copa do Mundo de futebol feminino e a maior já realizada, com um número inédito de 24 seleções e uma premiação 50% maior do que o da edição anterior: desta vez, o time ganhador receberá US$ 6 milhões (R$ 18 milhões), do total de US$ 135 milhões distribuídos em prêmios.

Até o momento 920 mil ingressos foram vendidos, e são esperados que mais 1 bilhão de espectadores em 187 países e territórios assistam ao Mundial pela televisão - número bem superior aos 400 milhões registrados há quatro anos.

Leia mais: Escândalo sobre sede olímpica de 2002 traz lições à Fifa

As seleções do Japão, da Alemanha e dos Estados Unidos são apontadas como as favoritas. As alemãs e americanas entrarão em campo para tentar seu tricampeonato.

As seleções femininas de Camarões, Costa Rica, Equador, Costa do Marfim, Holanda, Espanha, Suíça e Tailândia farão sua estréia em Copas.

Direito de imagem AFP
Image caption Competição terá 24 times na disputa pela primeira vez

Seleção brasileira

O Brasil enfrentará duas destas seleções, Costa Rica e Espanha, no grupo E. A partida de estreia será no dia 9 de junho, contra a Coreia do Sul, às 18h do horário de Brasília.

O jogo contra as espanholas será no dia 13, às 15h. A seleção entrará de novo em campo no dia 17, às 19h, contra as costa-riquenhas.

Dos 24 times da primeira rodada, 16 irão pela primeira vez para a segunda fase

Leia mais: Escândalo no futebol: entenda como a Fifa ganha - e gasta - dinheiro

O evento ocorrerá enquanto ainda estão sendo apuradas as denúncias de corrupção envolvendo alguns dos principais nomes da Fifa.

Sete integrantes da entidade foram presos após uma investigação dos Estados Unidos apontar indícios de corrupção e propinas.

Junto com o secretário geral Jerome Valcke, Blatter está sendo investigado pelo FBI, mas ambos negam seu envolvimento.

Vlacke já havia dito que não participaria da cerimônia de abertura neste sábado.

Na quinta-feira, porta-vozes da Fifa não confirmaram a presença de Blatter na partida final, prevista para 5 de julho.