Onze lugares onde a água adquiriu formas espetaculares

Alguns foram formados há milhões de anos, outros são tão singulares que foram tornados patrimônio mundial. Conheça alguns dos mais belos aquíferos do planeta.

Grande Fonte Prismática, Estados Unidos

Direito de imagem na

A multicolorida formação é a maior fonte de águas termais do Parque Nacional de Yellowstone, no Estado americano de Wyoming: mede 90 metros de diâmetro e tem mais de 50 metros de profundidade.

Este lago rico em minerais apresenta faixas concêntricas de cores vibrantes, que variam do vermelho ao verde, por causa da presença de diferentes conjuntos de bactérias pigmentadas que as habitam. As águas da parte central, de um azul brilhante, podem chegar a uma temperatura de 87ºC.

Leia mais: Concurso premia melhores imagens sobre a fragilidade da Terra

Leia mais: As 15 paisagens rochosas mais impressionantes do mundo

'Lago Manchado', Canadá

Direito de imagem Alamy

Este é um lago de águas alcalinas e ricas em minerais, principalmente sulfatos, e contém até pequenas doses de prata e titânio.

As manchas redondas aparecem durante o verão, quando a maior parte da água evapora.

Localizado na Província de Colúmbia Britânica, o lago é chamado pelos nativos de Kliluk e é considerado sagrado. Durante a Primeira Guerra Mundial, os sais encontrados aqui foram usados para fabricar explosivos.

Lago Retba, Senegal

Direito de imagem na

Com uma aparência de uma gigantesca piscina de suco de morango, o Lago Retba apresenta altíssimo teor de sal. Tanto que se popularizou como um local onde se pode flutuar facilmente. O lugar também atrai produtores de sal.

O lago fica perto da costa senegalesa. Sua cor rosa vibrante se deve à microalga Dunaliella salina, que floresce em ambientes altamente salgados e que produz um pigmento avermelhado para ajudar a absorção da luz solar. A cor fica particularmente brilhante durante a estação seca.

Leia mais: Escalando o vulcão 'mais mortífero' dos EUA

Leia mais: Como é viver ao lado dos maiores parques nacionais do mundo

Cachoeiras de Sangue, Antártida

Direito de imagem na

No leste da Antártida, uma cachoeira de cor vermelho vivo jorra pelas fendas da Geleira de Taylor.

A água vem de um lago altamente salgado que está preso sob a geleira há mais de 2 milhões de anos.

Conforme as águas ricas em ferro escoam, o mineral reage com o oxigênio do ar e forma uma ferrugem, dando à cachoeira a cor avermelhada.

A antiga comunidade de micróbios que habita o lago pode fornecer pistas sobre a vida na era pré-histórica da Terra e de outros planetas.

Caño Cristales, Colômbia

Direito de imagem Alamy

Durante um curto período entre setembro e novembro, este rio se transforma, com suas águas adquirindo uma miríade de cores.

Os tons vívidos de vermelho, azul, verde e laranja são causados por uma planta endêmica, Macarenia clavigera, que floresce na água, assim como musgos e algas.

O rio fica em uma parte remota da Serra da Macarena, área que permaneceu fechada ao acesso público até meados da última década por causa da atividade de guerrilhas.

Leia mais: O sensacional mundo dos tubarões e arraias

Lago Fervente, Dominica

Direito de imagem Alamy

Este lago literalmente ferve. Localiza-se no alto de uma cordilheira no Parque Nacional de Morne Trois Pitons, na ilha caribenha de Dominica.

A única maneira de se chegar até ele é por uma árdua caminhada.

O lago é constantemente aquecido pela lava sob ele, que, através de uma pequena abertura, solta vapor de água e gases quentes. Nadar aqui pode ser fatal.

Salar de Uyuni, Bolívia

Direito de imagem Alamy

Com 10.582 quilômetros quadrados, trata-se da maior planície de salinas do mundo. A paisagem é salpicada por montes de sal.

Durante a estação chuvosa, o deserto salgado é inundado pelas águas dos lagos vizinhos e se transforma em um gigantesco espelho que reflete o céu.

A área é ainda uma importante fonte de lítio.

Leia mais: Sete maravilhas arquitetônicas desconhecidas

Terraços de Pamukkale, Turquia

Direito de imagem Alamy

Uma surpreendente paisagem de pequenas piscinas naturais de calcário e água azul-turquesa, originada pelos depósitos de fontes termais ricas em minerais.

Também chamados de “Castelo de Algodão”, os terraços de Pamukkale ficam perto da antiga cidade romana de Hierápolis. A região foi declarada Patrimônio Mundial da Unesco.

Lagos Plitvice, Croácia

Direito de imagem Alamy

Dentro de um parque nacional croata fica esta sequência de 16 lagos separados por barragens naturais de calcário, mas ainda interligados.

Juntos, eles formam impressionantes cachoeiras.

Os lagos Plitvice são hoje um Patrimônio Mundial da Unesco. O parque, criado em 1949, possui uma rica biodiversidade, incluindo animais raros como linces e lobos.

Leia mais: Os mistérios da costa de 5 mil km da Croácia

Lagos da cratera do Kelimutu, Indonésia

Direito de imagem Alamy

A cratera do vulcão Kelimutu, na Indonésia, abriga três lagos, cada um com uma cor diferente.

Eles mudam de cor periodicamente, passando do azul ao verde, do vermelho ao negro, e até ficando marrons ou brancos.

Os três lagos também têm temperaturas diferentes e composições químicas distintas.

Champagne Pool, Nova Zelândia

Direito de imagem na

Como em uma taça de champanhe, o dióxido de carbono borbulha constantemente nas águas da Champagne Pool (“piscina de champanhe”, em tradução literal).

Esta fonte termal se formou há cerca de 900 anos e, na superfície, sua temperatura gira em torno dos 74ºC.

As margens alaranjadas do lago são ricas em sílica, com depósitos de arsênio e sulfetos de antimônio. Também é possível encontrar mercúrio, tálio, prata e ouro nas rochas ao redor.

Leia mais: Em imagens: Os mais fantásticos encontros entre bichos

Leia a versão original desta reportagem em inglês no site BBC Earth.