Vídeo viral de linchamento de garoto de 13 anos gera revolta em Bangladesh

AFP Direito de imagem AFP
Image caption Manifestantes em Daca, em Bangladesh, participam de protesto contra o linchamento do jovem

Milhares de pessoas em Bangladesh estão exigindo punições para o caso de um adolescente que foi espancado até a morte por um grupo de homens que filmou o ataque, enquanto riam e celebravam.

O vídeo da morte do garoto, de 13 anos, tornou-se viral nas redes sociais. Os homens haviam o acusado de tentar roubar um riquixá - uma bicicleta com uma carroça - na cidade de Sylhet. Três pessoas foram presas, incluindo o principal suspeito, que fugiu para a Arábia Saudita após o ataque mas foi capturado.

Na gravação, Samiul Alam Rajon foi amarrado em um poste pelos homens, que o espancaram usando um bastão de metal. Ele gritou por ajuda, informou o jornal Daily Star, e chorou pedindo água. Ouve-se o grupo celebrando, e dizendo que publicariam o vídeo no Facebook.

Leia mais: Ativistas afegãs rompem tradição e carregam caixão de mulher linchada

Após o garoto ter sido morto, o corpo foi levado a um aterro, segundo o jornal, a cerca de 180 metros do local onde o espancamento ocorreu.

Mas eles foram vistos por moradores, que os perseguiram. Três homens escaparam, mas um foi alcançado e entregue a polícia. Outro foi preso mais tarde e o principal suspeito foi detido na Arábia Saudita.

"É um incidente infeliz e triste", disse o ministro de Assuntos Domésticos de Bangladesh, Asaduzzaman Khan Kamal, segundo o site bdnews.24.

"Um homem foi entregue e outro preso. Os outros serão detidos em breve. Nenhum será poupado."

Direito de imagem AFP
Image caption Divulgação de vídeo com espancamento causou revolta em Bangladesh

Uma autópsia disse que Samiul, que ajudava sua família a vender legumes, morreu de hemorragia cerebral após diversos ferimentos na cabeça. Mais de 60 marcas foram encontradas em seu corpo. Uma conta no Twitter foi criada em homenagem a ele.

Suspeitos de roubos são frequentemente atacados por multidões em Bangladesh. Mas a editora da BBC para o Sul da Ásia, Joanna Jolly, disse que a brutalidade do ataque causou indignação generalizada e levou a polícia a formar um pelotão especial para investigar o assassinato.

Leia mais: Mulher acusada de bruxaria é morta por família na Índia

Notícias relacionadas