Comediante admitiu ter oferecido dinheiro por silêncio de mulheres após sexo

AFP Direito de imagem AFP
Image caption Cosby tem uma fortuna avaliada em US$ 400 milhões

Por causa do sucesso da série de TV levando o seu nome, exibida não apenas nos EUA, mas também no Brasil, o comediante Bill Cosby nos anos 80 ficou conhecido como o "papai dos americanos".

Nos últimos meses, porém, sua reputação sofreu sérios abalos, com diversas mulheres vindo a público acusá-lo de crimes sexuais, incluindo estupro. Muitas acusam o comediantes de usar sedativos antes de cometer crimes. E as alegações ganharam mais força neste fim de semana: o jornal The New York Times obteve a transcrição de depoimentos dados por Cosby há 10 anos, durante um processo movido por uma funcionária da Universidade de Temple no estado americano da Filadélfia.

'Instituição americana'

Nos depoimentos, Cosby, hoje com 78 anos, admite ter oferecido dinheiro à mulher em troca de seu silêncio. No início de julho, o jornal também divulgou documentos de um outro processo em que Cosby confessou ter ministrado remédios a mulheres com o objetivo de fazer sexo com elas.

Leia mais: 'Rolling Stone' se desculpa por reportagem sobre suposto estupro de universitária em campus

Direito de imagem Reuters
Image caption Houve protestos em várias aparições do comediante

O comediante nega as acusações. Algumas das supostas vítimas relatam casos ocorridos ainda nos anos 60, quando Cosby já era um nome famoso no circuito americano de comédia stand-up. Sua linha de piadas era centrada em valores familiares. Ao contrário de outros comediantes negros, como Richard Pryor, ele passou ao largo de material mais polêmico e ligado a questões raciais nos EUA.

Seu maior sucesso, porém, foi o Cosby Show. Então um raro caso de seriado reunindo um grande número de protagonistas negros, o show foi ao ar entre 1984 e 1992, transformando Cosby em uma verdadeira "instituição" americana. Suas audiências bateram na casa de 30 milhões telespectadores semanais.

Com o cancelamento do show, Cosby passou boa parte dos 20 anos seguintes tentando, sem sucesso, encontrar espaço num mercado dominado por nomes mais jovens e com um humor mais cáustico, como Chris Rock. Mas, em 2013, seu primeiro stand-up em 30 anos foi um hit com a crítica e gerou demanda para uma turnê nacional.

Image caption As acusações cancelaram os planos de uma nova série de TV para Cosby

Foi justamente quando as alegações sobre sua conduta sexual vieram à tona.

Leia mais: Falha em busca do Google transforma egípcio em celebridade

Na verdade, acusações públicas já tinham ocorrido anos antes: em 2005, a funcionária da Universidade de Temple Andrea Constand, entrou na justiça contra Cosby. O caso foi arquivado por falta de provas, mas Constand abriu também um processo cível e 13 mulheres, 12 delas anônimas, testemunharam a favor da funcionária, alegando também terem sido assediadas pelo comediante.

Constand acusou Cosby de dar a ela alguma droga poderosa antes de molestá-la. Cosby, no entanto, diz ter dado a jovem uma dose e meia do anti-alérgico Benadryl para aliviar o estresse e que a relação sexual foi consensual. Apesar de insistir ter dado apenas o anti-alérgico para Constand, Cosby admitiu ter tido acesso, no anos 70, a um sedativo (quaaludes) vendido apenas sob prescrição médica e que era comum no ambiente de festas da época.

Segundo o depoimento, foram sete receitas médicas ao longo de um pouco mais de dois anos.

O comediante, no entanto, insiste que o uso da droga era consensual e disse que, na época, oferecer a droga durante um encontro era como oferecer uma bebida.

Direito de imagem AP
Image caption Cosby nega publicamente as acusações

Apesar de negar as acusações, Cosby fez um acordo financeiro extrajudicial com Constand.

O comediante não comenta publicamente as acusações e isso o teria levado a cancelar uma aparição, em novembro do ano passado, no prestigiado talk show Late Show.

Os danos à reputação foram suficientes para que a rede de TV NBC arquivasse o projeto de uma nova sitcom com Cosby. O canal a cabo TV Land, cancelou as reprises do Cosby Show. Promotores ao redor dos EUA desmarcaram shows da turnê do comediante.

Cosby ficou três meses sem aparecer ao vivo e só voltou aos palcos no início deste ano, encontrando plateias vazias e protestos nos teatros.

Notícias relacionadas