Obama pede a quenianos que lutem contra 'câncer da corrupção'

AFP Direito de imagem AFP
Image caption Obama encerrou visita de dois dias ao Quênia vista como histórica

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu a quenianos que enfrentem o "câncer da corrupção", em discurso no qual elogiou os avanços políticos e econômicos do país mas alertou para desafios.

Segundo ele, corrupção, terrorismo e divisões tribais e étnicas são ameaças para o futuro do Quênia.

"Uma política que é baseada somente em tribos e etnias está fadada a dividir um país. É um fracasso - um fracasso de imaginação", disse ele.

"O Quênia está numa encruzilhada, um momento cheio de perigo mas com uma enorme promessa."

Leia mais: No Quênia, Obama defende 'julgamentos visíveis' para combater corrupção

Leia mais: Legislação sobre armas é 'grande frustração'

Leia mais: O vilarejo onde tudo se chama Obama

O discurso foi feito em Nairóbi, antes do encerramento da visita de dois dias ao país de seu pai que foi vista como histórica. Foi a primeira viagem de Obama ao Quênia como presidente americano.

Ele elogiou o país por superar a violência étnica iniciada após a polêmica eleição de 2007, mas condenou a repressão a mulheres, inclusive a mutilação genital feminina e casamentos forçados que, segundo ele, não pertencem ao século 21.

Direito de imagem AFP
Image caption Milhares de pessoas acompanharam discurso de Obama em Nairóbi

O presidente pediu também que o Quênia "abrace a diversidade", numa referência clara a direitos homossexuais, tema que já havia sido abordado por ele durante a visita ao país.

No sábado, Obama havia criticado em tom forte a discriminação. Mas o presidente queniano, Uhuru Kenyatta, disse que o Quênia não compartilha da mesma posição e que os direitos dos homossexuais não são assunto "prioritário" para os habitantes do país.

A próxima escala da viagem de Obama é a Etiópia. Ele é o primeiro presidente americano a visitar o país.

Notícias relacionadas