Afeganistão anuncia morte de mulá Omar, aliado nº 1 de Bin Laden

BBC
Image caption Mulá Omar (em pé), filmado secretamente pela BBC em 1996, foi raramente visto em público

Autoridades afegãs anunciaram a morte de mulá Mohammed Omar, líder do Talebã afegão e aliado de Osama Bin Laden; o grupo extremista islâmico não comentou a informação.

Omar, que mantinha-se recluso, morreu há dois ou três anos, segundo fontes do governo e de inteligência do Afeganistão. Não foram divulgados detalhes das circunstâncias da morte. Um porta-voz do Talebã disse à BBC que o grupo divulgará um comunicado em breve.

Esta é a primeira vez que autoridades afegãs confirmam a morte do mulá. No últimos anos, o Talebã chegou a divulgar diversas mensagens atribuídas a ele.

O mulá Omar liderou a vitória do Talebã sobre milícias afegãs rivais na guerra civil que eclodiu no país após a retirada de tropas soviéticas, em 1989.

Leia mais: Talebã publica biografia de líder supremo

Leia mais: Nova teoria sobre morte de Bin Laden causa polêmica nos EUA

Sua parceria com o ex-líder da Al-Qaeda, Osama Bin Laden, levou à invasão do Afeganistão liderada pelos Estados Unidos em 2001, após os ataques de 11 de setembro.

Desde então, manteve-se recluso. O Departamento de Estado americano oferecia uma recompensa de US$ 10 milhões por informações que levassem à sua captura.

Segundo o Talebã, o mulá nasceu em 1960 no vilarejo de Chah-i-Himmat, na província de Kandahar. Tornou-se o "líder supremo" do grupo em 1996.

No início deste ano, o Talebã publicou sua biografia. A obra diz que ele não tinha uma casa nem conta em banco. Diz, também, que ele tinha "um senso de humor especial".

Notícias relacionadas