Asa encontrada no mar é ‘muito provavelmente’ do voo MH370

Direito de imagem EPA

A parte da asa de avião encontrada na ilha de Reunião – território ultramarino francês no Oceano Índico - pertence "muito provavelmente" ao Boeing 777 da Malaysia Airlines que sumiu em março de 2014 com 239 pessoas a bordo.

A informação foi passada à BBC por Martin Dolan, chefe do escritório de segurança aérea da Austrália, que está no comando das ações de busca.

Leia mais: Quais são as chances de o pedaço de asa encontrado ser do voo MH370?

"Estou cada vez mais confiante de que a fuselagem está associada com a aeronave (Boeing) 777", disse.

O vestígio foi encontrado quarta-feira na ilha de Reunião, que fica próxima à Madagascar e a 4 mil quilômetros da região onde acreditava-se que o MH370 havia desaparecido, quando fazia o trajeto entre Kuala Lumpur (Malásia) e Pequim (China).

Leia mais: Relembre outros dez misteriosos desastres aéreos

A parte da aeronave deve ser levada na sexta-feira para Toulouse, na França, onde será analisada.

Flaperon

Especialistas em aviação que tiverem acesso às fotos do objeto disseram que se trata de um flaperon - parte da asa que ajuda o avião a subir – de um Boeing 777.

"Não há registro de outros casos de flaperons perdidos de um Boeing 777", disse Dolan.

Há um imenso hangar em Toulouse, onde as autoridades vão estudar a parte de asa – o mesmo local onde eles fizeram o mesmo trabalho com os destroços do avião da Air France que caiu em seu trajeto entre o Brasil e a França, em 2009.

Segundo o jornalista da BBC Richar Wescott, especialista em transportes, a parte da asa pode ter um número de série que pode confirmar se ele é mesmo do voo MH370.

Mas mesmo se não houver o número, seria possível rastrear a origem da peça pela marca da empresa que a produziu.