Após morte de leão, aéreas dos EUA proíbem frete de animais caçados

AP Direito de imagem AP
Image caption Delta e American Airlines disseram que decisão tem efeito imediato

As companhias aéreas americanas Delta e American Airlines proibiram o transporte de animais de grande porte mortos em caçadas.

O anúncio veio após a grande repercussão internacional à morte do leão Cecil no Zimbábue.

As companhias disseram que não transportariam mais restos mortais de leões, rinocerontes, leopardos, elefantes e búfalos.

Eles não deram uma justificativa para a adoção da medida.

Leia mais: Zimbábue procura outro americano suspeito de matar leão

A Delta voa diretamente para diversas cidades na África e foi alvo de uma petição online para banir este tipo de transporte.

A American Airlines voa para apenas oito cidades subsaarianas - bem menos que a Delta. A empresa disse, pelo Twitter, que sua decisão entrava em vigor imediatamente.

Cecil foi morto de forma ilegal em julho pelo dentista americano Walter Palmer, de Minnesota. O Zimbábue pediu sua extradição e também a de um médico da Pensilvânia, Jan Casimir Seski, suspeito de ter matado outro leão em abril.

Leia mais: Sete motivos para adorarmos os leões

Direito de imagem Reuters
Image caption Cecil era uma das maiores atrações de parque nacional

Acredita-se que Palmer tenha pagado US$ 50 mil (cerca de R$ 172 mil) para caçar Cecil, que era uma grande atração turística do parque nacional Hwange.

Palmer disse achar que a caça era legal e não sabia que Cecil era protegido.

A Delta não respondeu a questionamentos de jornalistas sobre os motivos de sua decisão e também não detalhou quantos animais mortos em caça foram transportados nos últimos anos.

Leia mais: Zimbábue pede extradição de americano que matou leão símbolo do país

"Com efeito imediato, a Delta vai oficialmente banir o transporte de todos os leões, leopardos, elefantes, rinocerontes e búfalos de caçada no mundo como frete", disse a empresa.

O anúncio aconteceu no momento em que diversas companhias aéreas indicaram que devem fazer o mesmo.

Em maio, a Delta havia dito que continuaria a permitir este tipo de transporte.