Relógios de luxo em autoridades fomentam 'policiamento' anticorrupção online

O que era para ser apenas uma foto de uma luxuosa festa de casamento acabou virando munição para uma onda de acusações de corrupção contra o noivo – no caso, um assessor da presidência russa. E a revolta começou por conta do relógio milionário que ele levava no pulso.

O escândalo envolvendo o porta-voz de Vladimir Putin vem na esteira de outros casos envolvendo figuras públicas e relógios que aparentemente não condizem com seus salários.

Leia mais: Imprensa internacional: Prisão de 'magnatas' tenta combater cultura de impunidade entre ricos

Leia mais: Em ano de escândalos, Brasil melhora em ranking de corrupção

As histórias sempre começam do mesmo jeito: uma foto aparentemente inocente é compartilhada online. Nas redes sociais, começa-se a questionar o relógio luxuoso e surgem as acusações de corrupção.

Veja alguns casos recentes:

1. O porta-voz de Putin

No fim de semana passado, a suntuosa cerimônia de casamento entre Dimitry Peskov – porta-voz do presidente russo, Vladimir Putin – e a ex-atleta olímpica Tatyana Navka tomou conta do hotel Luxurious, em Sochi.

Não foi o casamento em si e nem a lista de convidados VIP que chamou a atenção dos russos que acompanharam a festança pela internet. Mas, sim, uma foto na qual ele aparece usando um relógio de outro de 18 quilates da marca Richard Mille – que custa quase 400 mil libras, o equivalente a mais de R$ 2 milhões.

Image caption Em meme que circulou no Twitter, Putin "diz" a Peskov: "Diga a eles que você encontrou (o relógio) em um ponto de ônibus"

O valor "excede em muito" seu salário como funcionário público, de acordo com um post do blogueiro e ativista da oposição Alexander Navalny.

"Como porta-voz do presidente consegue comprar um relógio que custa quatro vezes o seu salário anual?", questionou o opositor.

Peskov disse que o relógio foi um presente de casamento da sua esposa. Mas outras pessoas apontaram que na conta do Instagram de sua filha há fotos dele usando o acessório meses antes. A BBC não conseguiu ver essas imagens.

As acusações contra o porta-voz geraram um misto de ira e piadas na internet.

2. A primeira-dama da Nigéria

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Houve usuários defendendo a primeira-dama, dizendo que ela era uma mulher de negócios bem sucedida

No mês passado, Aisha Buhari, mulher do presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, recebeu uma onda de críticas semelhantes às do porta-voz russo.

Uma foto a mostrava usando um relógio Cartier Baignoire Folle de 18 quilates em ouro branco com diamantes, estimado em 30 mil libras, ou o equivalente a R$ 160 mil.

O que se seguiu foi uma intensa pressão para se saber como a mulher de um presidente que sempre se gabou de sua criação humilde e da sua imagem de "homem do povo" chegou ao relógio.

Mas outras pessoas saíram em sua defesa, dizendo que Aisha é uma mulher de negócios bem sucedida e que estava no seu direito de comprar o relógio que quisesse.

3. O líder do Estado Islâmico

Abu-bakr Al-Baghdadi, líder do grupo auto-denominado 'Estado Islâmico', ficou sob os holofotes após ser visto usando um relógio de luxo no ano passado.

Ele foi fotografado usando uma vestimenta típica preta e um relógio combinando durante uma visita surpresa a uma mesquita na cidade iraquiana de Mosul. O acessório em seu pulso seria um Rolex ou um Omega Seamaster.

Direito de imagem g
Image caption O líder do auto-declarado Estado Islâmico foi acusado de hipocrisia

Usuários lotaram o Twitter com comentários acusando o líder do EI de hipocrisia.

Um deles ironizou: "O mais estranho sobre o califa Baghdadi é que ele tem um relógio muito sofisticado e mesmo assim não sabe dizer em que milênio estamos".

4. O oficial do governo chinês

No verão de 2012, o oficial do governo da China Yang Decai foi fotografado rindo no local onde havia acabado de acontecer um acidente com um ônibus, na Província de Shaanxi.

Image caption Nas redes sociais, usuários compilaram fotos em que Yang aparece usando diferentes relógios luxuosos

Revoltados com sua postura animada no local de uma tragédia, muitos participantes do site Sina Weibo começaram a vasculhar outras imagens dele – e perceberam que, em muitas delas, Decai usava diferentes relógios de luxo.

Juntos, eles valiam milhares de libras. As pessoas, então, começaram a criar pressão para que o funcionário do governo explicasse como poderia bancar esses relógios com seu modesto salário.

A indignação generalizada acabou expondo a trajetória política de Decai, com novas revelações levando a acusações de corrupção e uma sentença de prisão.