Mais um veículo, com 26 imigrantes, é encontrado na Áustria

Reuters Direito de imagem Reuters
Image caption Homenagem a 71 imigrantes encontrados mortos em caminhão; mais 26 imigrantes foram achados em van nesta sexta

Uma minivan com 26 imigrantes, entre eles três crianças, foi encontrada na Áustria.

Segundo a polícia, as crianças estavam gravemente desidratadas e não teriam sobrevivido muito tempo no veículo apertado.

Elas estão se recuperando em um hospital austríaco. Ainda não há informações sobre a saúde dos outros imigrantes localizados.

O caso ocorre dias após a descoberta de um outro caminhão na Áustria contendo os corpos de 71 imigrantes.

Leia mais: Número de mortos em caminhão na Áustria sobe para 71; dono e motoristas são presos

A minivan com 26 pessoas foi descoberta na sexta-feira perto da cidade de St Peter am Hart, perto da fronteira com a Alemanha.

Um porta-voz da polícia disse à BBC que as crianças estavam amontoados na parte de trás da minivan junto com os outros imigrantes, que dizem ser da Síria, Afeganistão e Bangladesh.

Ele disse que as crianças - com idades entre cinco e seis - estavam quase inconscientes e gravemente doentes. Autoridades disseram neste sábado que elas não correm risco de morrer, mas ainda estão no hospital.

Leia mais: Seis perguntas sobre a crise de imigração na Europa

A polícia disse que tentou parar o veículo, que fugiu em velocidade. Com isso, iniciou-se uma perseguição.

Os imigrantes disseram que estavam tentando chegar à Alemanha.

O motorista da van, um romeno, foi preso.

Caminhão

A descoberta de um caminhão com 71 corpos perto da fronteira húngara causou revolta nesta semana.

Autoridades dizem que 59 homens, oito mulheres e quatro crianças, que acredita-se serem sírias, haviam morrido sufocadas, provavelmente dois dias antes de o caminhão ser localizado.

A polícia austríaca acredita que o veículo fazia parte de uma rede de tráfico de pessoas da Bulgária e Hungria.

Os suspeitos foram presos na Hungria.

A Justiça húngara determinou que quatro homens suspeitos de envolvimento no caso - três búlgaros e um afegão - ficarão detidos pelo menos até 29 de setembro. A Áustria espera pedir a extradição deles.