Como uma foto ajudou a arrecadar milhares de dólares para um refugiado sírio

Reprodução
Image caption Uma foto de Attar com sua filha viralizou na internet

A imagem é comovente. Visivelmente abalado, um homem caminha por uma rua de Beirute, no Líbano, carregando no colo sua filha adormecida, enquanto tenta vender canetas esferográficas.

O homem é Abdul Halim Attar, um refugiado palestino de Yarmouk, na Síria, e a menina se chama Reem.

Sabemos estas informações graças ao ativista islandês Gissur Simonarson, que administra o site de notícias Conflict News. Ele conseguiu descobrir seu paradeiro.

Leia mais: Depois de apelo na web, criança recebe 20 mil cartões de aniversário

Simonarson publicou a foto em sua conta no Twitter depois de vê-la compartilhada na rede social. Ele percebeu que ela gerou uma grande repercussão entre seus 6 mil seguidores.

Decidiu, então, procurar o homem da foto e, em menos de meia hora, com a ajuda de jornalistas locais e ativistas, conseguiu encontrá-lo.

Campanha de sucesso

Image caption Ativista conseguiu localizar Attar e decidiu ajudá-lo

Na quinta-feira passada, Simonarson também deu início a uma companha de financiamento coletivo por meio do site Indiegogo para arrecadar US$ 5 mil (R$ 16,5 mil) em 15 dias para Attar e sua filha. A meta foi alcançada em 30 minutos.

Passados três dias, já foram arrecadados mais de US$ 145 mil (cerca de R$ 519 mil), e este valor segue aumentando.

Leia mais: Menino com autismo ganha 'festa de arromba' surpresa após aniversário sem amiguinhos

"Queria conseguir algum dinheiro para ajudá-lo. Não esperava tanto apoio quanto estamos recebendo", diz Simonarson.

"Agora, eles podem começar uma nova vida com este dinheiro."

Mais ajuda

Simonarson não tinha qualquer experiência com campanhas para refugiados. Agora, depois do sucesso dessa empreitada, o ativista avalia fazer o mesmo para grandes grupos de pessoas.

A ONU calcula que, até o fim do ano, haverá cerca de 1,9 milhão de refugiados sírios no Líbano e todos estarão precisando de qualquer forma de ajuda.

Leia mais: Campanha tenta combater preconceito nas buscas do Google

No mundo, o total de refugiados sírios já passa de 4 milhões.

"Acredito que muitas pessoas simplesmente querem ver alguém ter uma vida melhor", diz Simonarson.