França confirma que peça de asa achada no Índico é de voo desaparecido

Reuters Direito de imagem Reuters
Image caption Peça foi encontrada em julho em ilha do oceano Índico

Promotores francesas dizem ter certeza de que a peça da asa de avião encontrada na ilha Reunião, no oceano Índico, em julho, é do voo MH370, da Malaysia Airlines.

A peça - um flaperon, que ajuda a aeronave a subir - foi examinada na França por especialistas em aviação.

Autoridades do país realizaram buscas por mais destroços na ilha e no seu entorno após o flaperon ter sido achado.

Leia mais: O que pode ser descoberto a partir da peça encontrada do MH370?

A aeronave da Malaysia Airlines levava 239 passageiros entre Kuala Lumpur e Pequim, em março de 2014, quando mudou de rota e desapareceu - um acidente que até hoje não foi plenamente esclarecido.

A confirmação de que a peça era desta aeronave pode permitir que se avance nas investigações do caso.

Evidências

Direito de imagem AFP
Image caption Após flaperon ser achado, buscas foram feitas na ilha Reunião

Para o professor brasileiro Moacyr Duarte, coordenador do Grupo de Análise de Risco Tecnológico e Ambiental da Coppe/UFRJ, a confirmação reforça evidências anteriores sobre o destino do voo.

Isso por causa das correntes marítimas que circulam no oceano Índico: uma delas chega à ilha Reunião depois de passar pela costa oeste da Austrália - e uma hipótese considerava a possibilidade de o avião ter caído justamente ali.

"O fato de a peça ter sido achada na ilha Reunião confirma que o voo deve ter realmente caído no oeste da Austrália", disse Duarte à BBC Brasil no início de agosto, quando o governo da Malásia já afirmava ser "muito provável" que o flaperon fosse do MH370.

Leia mais: Morador de ilha conta como encontrou peça que pode ser de avião perdido

No entanto, Richard Westcott, analista da BBC para o setor de transportes, disse na época considerar improvável que pequenas partes como um pedaço de asa revelem muito mais sobre o que ocorreu a bordo.

Greg Waldron, da empresa de notícias e análises em aviação Flightglobal, lembra que o fundamental para desvendar o mistério é a caixa-preta, que não foi localizada. "Uma peça apenas não irá resolver", afirmou à BBC Mundo.