Atriz se finge de embriagada e sofre assédio ostensivo em plena luz do dia

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Um experimento levado a cabo por um centro de tratamento para dependentes químicos em Madri teve resultados assustadores ao expor o comportamento agressivo masculino.

Em um vídeo de 10 minutos, filmado no centro da capital espanhola, em um dia de semana e em plena luz do dia, uma atriz fingindo estar bêbada é assediada, não raramente de forma acintosa, por homens que não hesitam em tentar se aproveitar da vulnerabilidade causada pelo álcool.

Coordenado pelo psiquiatra José Miguel Gaona, o experimento do Centro Europeu Neurosaulus teve que ser interrompido depois de o assédio crescer de intensidade a ponto de a equipe de filmagem temer pela segurança da atriz.

"Ficamos assustados com a atitude das pessoas. Esperávamos insinuações e comentários, mas nunca que os homens fossem tentar abusar fisicamente da mulher em plena luz do dia em Madri. Sinceramente, isso foi uma surpresa", afirmou Gaona à BBC Brasil.

Leia mais: Brasil se prepara para um verão de extremos

Leia também: Mistério de cidade onde moradores caem no sono de repente é desvendado

Curtiu? Siga a BBC Brasil no Facebook e no Twitter

Image caption Um homem tentou beijar a atriz à força

O psicólogo contou que a ideia do vídeo foi inspirada por um projeto semelhante feito em Los Angeles. Com a diferença de que, ao contrário da iniciativa americana, o experimento em Madri foi conduzido de forma a testar a espontaneidade das agressões.

A atriz usada, por exemplo, foi instruída a só interagir com homens em resposta a um contato inicial. Sua história era simples: "embriagada", ela dizia ter passado a manhã bebendo e se perdido das amigas, que não podia contactar por estar "sem bateria no celular".

"Não se trata de algum tipo de hoax, nem de algum tipo de edição tendenciosa. Tudo o que mostramos no vídeo aconteceu de verdade, e isso é o que o torna mais assustador. Ninguém tentou ajudá-la", acrescentou Gaona.

Leia também: #PrimeiroAssédio: Maioria de participantes de campanha sofreu 1º abuso entre 9 e 10 anos

Além de ouvir "cantadas", a atriz por vezes é levada para locais mais discretos, em que homens tentam beijá-la à força ou apalpá-la. E, em pelo menos uma ocasião, apesar de a mulher mencionar a intoxicação com o álcool, tentam lhe dar mais bebida.

Image caption Psicólogo quer que experimento provoque reflexão

"Isso foi algo que me deixou ainda mais chocado. Um homem tentar se aproveitar de uma mulher em estado de embriaguez avançada é a mesma coisa que tentar abusar de alguém com uma deficiência mental", disse o psicólogo.

Leia também: Por que a política do filho único virou uma bomba demográfica na China

Leia também: 'Narcos' em debate: Produções sobre Pablo Escobar criam polêmica na Espanha

Mas a equipe do Neurosaulus ficou mais chocada com as reações de usuários da internet que fizeram comentários sobre o vídeo, tanto no canal de YouTube do centro (em que o experimento teve mais de 680 mil visualizações) quanto nos sites de notícias.

"Os comentários simplesmente diziam que a maneira como a mulher estava vestida ou o fato de estar 'embriagada' tornava aceitável o fato de ela ser assediada da maneira que foi. Isso em vários idiomas diferentes, o que mostra como não estamos falando de um problema que acontece apenas na Espanha".

Para o psicólogo, porém, a viralização do vídeo ao menos vai provocar debate. Pai de duas filhas, Gaona espera ver público e autoridades refletindo sobre o experimento.

"Se homens tomaram essa liberdade toda com uma mulher adulta, imagine com adolescentes. Acho que nosso trabalho serve também como advertência. Não vivemos em um mundo em que todo mundo é bom. É preciso cuidado. Mas gostaria de ver a sociedade pensando bem no que está assistindo".

Notícias relacionadas