O que a derrubada do avião russo diz sobre a investida de Putin na Síria

AP Direito de imagem AP
Image caption Presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que derrubada foi "punhalada pelas costas"

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, classificou a derrubada do avião russo pela Turquia como uma "punhalada pelas costas" feita por "cúmplices de terroristas".

Segundo ele, haverá "graves consequências" nas relações de Moscou com a Turquia.

A Turquia afirma que suas aeronaves atiraram no avião após diversos alertas de que ele estaria violando o espaço aéreo turco. Mas Moscou nega a invasão.

De acordo com Putin, a aeronave russa estava participando de uma operação contra o grupo autodenominado "Estado Islâmico".

Leia também: Cerco ao churrasco? Estudo propõe 'cortar na carne' contra aquecimento global

"Nossos pilotos e aviões não ameaçavam o território turco de forma alguma. Isso está bem claro", disse o presidente russo.

O avião, no entanto, caiu em uma área dominada pelos turcomenos (grupo étnico que vive na região entre Síria, Iraque e Irã desde o século 11).

A Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) fará uma reunião extraordinária para discutir o incidente após pedido da Turquia.

Siga a BBC Brasil no Twitter e no Facebook

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, aconselhou russos a não visitarem a Turquia e disse que a ameaça de terrorismo no país é tão grande quanto no Egito, onde uma bomba derrubou um avião comercial no mês passado, matando 224 pessoas.

Para o correspondente de Defesa e Assuntos Diplomáticos da BBC, Jonathan Marcus, a derrubada do avião comercial pelo "Estado Islâmico" e a consequente investida de Moscou contra alvos do "EI" pareciam mostrar que Rússia, Ocidente e países árabes moderados estavam chegando a um alinhamento.

Leia também: Imagens mostram aeronave russa derrubada pela Turquia

Mas, para ele, o avião russo aparentemente estava atacando posições turcomenas – o que mostra que Moscou continua com a intenção de fortalecer o regime do presidente da Síria, Bashar al-Assad, e não apenas de combater o "Estado Islâmico".

A Turquia, diz ele, é extremamente resistente a Assad – ou seja, discorda frontalmente de Moscou.

Sinais

Na avaliação de Marcus, a derrubada do avião é o incidente que muita gente temia desde que o país deu início a suas operações aéreas na Síria.

Ele afirma que os perigos de operar perto da fronteira da Turquia eram evidentes – aviões turcos já haviam derrubado pelo menos uma aeronave síria e, possivelmente, um helicóptero.

A Turquia já havia alertado contra violações da Rússia e da Síria a seu espaço aéreo.

Direito de imagem Reuters
Image caption Rússia afirma que não violou espaço aéreo turco

No mês passado, Ancara disse que seus caças haviam interceptado um avião russo que cruzou sua fronteira e que duas aeronaves turcas haviam sido perturbadas por aeronaves Mig-29 não identificadas.

Pilotos

Ainda é incerto o que ocorreu com os pilotos da aeronave.

Helicópteros militares russos procuraram o piloto e o copiloto perto do local da queda, na área de Bayir Bucak, predominantemente dominada pelos turcomenos.

Um porta-voz de um grupo rebelde que atua na área, a 10ª Brigada da Costa, disse à agência de notícias Associated Press que a tripulação havia tentando cair com o paraquedas em território dominado pelo governo sírio – aliado da Rússia –, mas que eles teriam sido atingidos por membros do grupo.

Ele disse que um dos pilotos estava morto quando chegou ao solo. Não há informações sobre o segundo.

Um vídeo postado na internet mostra homens armados no entorno de um homem no chão, que veste um uniforme de voo – ele aparenta estar gravemente ferido ou morto.

Notícias relacionadas